Conferência de ausentes

Konferenz der Abwesenden Foto (Zuschnitt): © Sebastian Hoppe

A Conferência de Ausentes é uma performance teatral do colectivo de artistas Rimini Protokoll em co-produção com o Goethe-Institut, com a participação activa do público. Saiba mais sobre o projecto...

A digressão

A digressão europeia da Conferência de Ausentes teve início no passado mês de junho: a estreia foi no dia 1 de junho de 2021 em Dresden, no teatro Staatsschauspiel, seguiram-se representações no festival de teatro Ruhrfestspiele em Recklingshausen e depois em Frankfurt no teatro Künstlerhaus Mousonturm.

Já fora da Alemanha, a peça foi ainda apresentada nas seguintes cidades: em Madrid, nas Naves del Español en Matadero, de 8 a 10 de outubro; em Roma, no Mattatoio La Pelanda, no âmbito do Romaeuropa Festival, de 2 a 4 de novembro; em Veneza, na Exposição Internacional de Arquitetura da Bienal, a 20 e 21 de novembro; no Luxemburgo, no Grand Théâtre, a 30 de novembro e 1 de dezembro; em Bruxelas, no Kaaitheater, a 8 e 9 de dezembro. Em 2022 segui para Lisboa, com apresentação no Teatro do Bairro Alto, de 23 a 26 de fevereiro, e em Paris, no Centre Pompidou, no mês de maio.

O coletivo

Helgard Haug, Stefan Kaegi e Daniel Wetzel criaram no ano de 2000 a «marca» teatral Rimini Protokoll e desde então, agrupados de diversas formas, têm trabalhado sob esta designação. Peça após peça, têm vindo a expandir os meios de expressão a que o teatro pode recorrer, com vista a proporcionar novas perspetivas sobre a realidade.


É frequente o coletivo Rimini Protokoll desenvolver as suas peças de teatro, intervenções, instalações cénicas e peças radiofónicas com recurso a especialistas, peritos nas respetivas áreas que desenvolveram os seus conhecimentos e competências fora do teatro. Além disso, gosta também de transpor determinados espaços ou ordens sociais para formatos teatrais. Muitos dos seus trabalhos caraterizam-se pela interatividade e por uma abordagem lúdica ao uso da tecnologia.

Assim, Rimini Protokoll infiltrou-se, por exemplo, na assembleia geral de acionistas da Daimler, desmascarando-a como a encenação em que este tipo de eventos sempre consiste. Com Call Cutta e Call Cutta in a Box, encenam-se conversas transcontinentais entre o colaborador de um call center indiano e cada um dos participantes «que vai ao teatro».

Com 100% Cidade criou-se uma encenação que, de cidade em cidade, a nível mundial, ganha uma contextualização sempre nova, reunindo num palco de teatro 100 habitantes dessa cidade, selecionados de modo a fornecer um retrato representativo da mesma. Na sua produção Welt-Klimakonferenz, no teatro Schauspielhaus de Hamburgo, chamou-se a atenção para o drama de uma diplomacia pesada que na Conferência Mundial do Clima funciona a uma escala enorme, quando o que importa é proteger a atmosfera da Terra.

Para Situation Rooms, descrito como um «multiplayer video walk», foi desenvolvido um cenário hiper-realista, através do qual 20 espetadores seguem os passos de pessoas cujas biografias, de uma maneira ou de outra, foram moldadas pelas armas. Em Utopolis, são usados 48 altifalantes portáteis, que servem para guiar o público através da cidade — traçando assim um rumo em direção a utopias que são partilhadas ou contraditórias entre si.

As peças Chinchilla Arschloch, waswas (2020), Situation Rooms (2014), bem como Wallenstein (2006) e Deadline (2004) foram convidadas para o Berliner Theatertreffen, um festival de teatro em Berlim.

Além disso, o coletivo Rimini Protokoll recebeu, entre outros, o Prémio de Dramaturgia de Mülheim pela peça Karl Marx: Das Kapital, Erster Band, o Prémio Alemão de Teatro Faust, o Grande Prémio de Teatro da Suíça, atribuído pelo Gabinete Federal de Cultura, o Prémio Europa de Teatro, o Leão de Prata da Bienal de Teatro de Veneza, bem como o Prémio Alemão de Teatro Radiofónico e o Prémio de Teatro Radiofónico dos Cegos em Resultado da Guerra.

Desde 2003, o escritório de produção do Rimini Protokoll tem a sua sede em Berlim.

Website Rimini Protokoll
 

Reportagens



Workshop com Rimini Protokoll em Lisboa
Akademie der Abwesenden

Em fevereiro 2022 realizou-se a Academia de Ausentes, no Teatro do Bairro Alto. Neste workshop, que foi dinamizado pela Helgard Haug, a técnica de telepresença performativa desenvolvida para a Conferência de Ausentes foi trabalhada com artistas, profissionais da sociedade civil e ativistas com a perspetiva de poderem vir a reproduzi-la de forma autónoma. O workshop foi organizado no âmbito do projeto ReMapping Memoris Lisboa-Hamburg e o foco temático esteve em questões de ausência, visibilidade, representação e resistência nos centros e periferias da cidade pós-colonial.


O público em Dresden Collage © Goethe-Institut Itália

Estreia em Dresden, junho 2021
O público em Dresden

Como poderá ver neste vídeo, Christian Rätsch, o nosso blogger em Dresden, entrevistou os participantes na sessão de estreia da Conferência de Ausentes: Lennart, Christian, Franziska... O público subiu ao palco, usou auscultadores para ouvir a voz do ponto que os guiava, viu-se de imediato envolvido numa série de inesperadas emoções.

Staatschauspiel Dresden Standbild © Goethe-Institut Italien

1 de junho de 2021, Dresden, Staatsschauspiel
ENTREVISTA CONJUNTA: DANIEL WETZEL E LÜDER WILCKE

A estreia da digressão teve lugar a 1 de junho de 2021 em Dresden, no teatro Staatsschauspiel. Ao conceber a peça, os membros do coletivo Rimini Protokoll colocaram a si mesmos as seguintes perguntas: o que aconteceria se todos os oradores convidados para uma conferência subitamente tivessem de cancelar a sua presença ou preferissem não fazer a viagem por causa da pandemia ou do agravamento das alterações climáticas? E como seria se o público fosse convidado a assumir o seu lugar? Após um ano e meio de presença digital e face à ausência dos protagonistas no palco, o Staatsschauspiel Dresden decidiu trilhar novos caminhos no âmbito da encenação. E como foi que tudo correu? Fique a saber pelas respostas que, numa entrevista, Daniel Wetzel, do Rimini Protokoll, e Lüder Wilcke, dramaturgo do Staatsschauspiel, deram ao nosso blogger Christian Rätsch.