Acesso rápido:
Ir diretamente para o conteúdo (Alt 1)Ir diretamente para a navegação secundária (Alt 3)Ir diretamente para a navegação principal (Alt 2)
Camões+Goethe© lupadesign

Camões+Goethe

A literatura de língua alemã é das mais conhecidas e apreciadas do mundo. Não é por acaso que o Prémio Nobel da Literatura já foi atribuído a 13 escritores que se expressavam ou expressam neste idioma. No entanto, se perguntarmos ao senhor Müller qual é o escritor mais significativo da sua língua, dificilmente ele deixará de responder Johann Wolfgang von Goethe. Nascido em Frankfurt em 1749, Goethe deveria ter seguido a carreira de jurista, como o seu pai. No entanto, apesar de ter estudado Direito, o jovem Johann Wolfgang sempre se interessou mais pelas artes, especialmente as da escrita. Goethe foi político e aventurou-se pelas ciências da natureza, tendo marcado a sua época também pela sua filosofia e forma de estar na vida. Porém, foi sobretudo o seu contributo para as letras que o imortalizou. Do romance, como A Paixão do Jovem Werther (Die Leiden des jungen Werthers) e As Afinidades Electivas(Die Wahlverwandtschaften), ao drama, de que é exemplo maior Fausto (Faust), passando pela literatura de viagens, representada sobretudo por Viagem a Itália (Italienische Reise), e pela poesia, Goethe deixou uma herança literária difícil de igualar. Falecido em Weimar em 1832, o escritor alcançou o feito mais alto que um homem das letras poderá desejar: a sua língua passou a pertencer-lhe.

O senhor Silva até poderá não saber que o alemão é "a língua de Goethe", mas certamente não desconhecerá o nome do "patrono" da língua portuguesa. Com uma única obra de grande fôlego, Os Lusíadas, Luís Vaz de Camões ganhou o direito de ocupar o lugar mais alto do pódio da literatura portuguesa. Publicados pela primeira vez em 1572, Os Lusíadas relatam, com abundante recurso à mitologia, a história de Portugal até então, com destaque para a viagem marítima que levou Vasco da Gama à Índia. A vida de Camões está recheada de mistério. Supõe-se que tenha nascido em Lisboa em 1524, mas não há certezas, nem em relação ao local, nem à data. Sobre a sua vida sabemos que perdeu o olho direito numa luta de espadas e que viajou longamente, sobretudo pelas colónias portuguesas do Oriente. A sua biografia é rica em episódios, mas é difícil distinguir quais correspondem à realidade e quais são apenas mitos. Camões faleceu em Lisboa a 10 de Junho de 1580. Terá morrido pobre, mas a epopeia e os poemas soltos que nos deixou, mais tarde reunidos em livro, enriqueceram de forma incalculável a cultura portuguesa. De resto, a importância destes dois vultos para os respectivos países fica bem expresso no facto de darem nome às instituições que têm a responsabilidade de difundir as suas culturas por todo o mundo: o Goethe-Institut, no que diz respeito à Alemanha, e o Instituto Camões, no que toca a Portugal.

Goethezeitportal
infobiografias.com: Biografia e vida de Johann Wolfgang Goethe
infopédia: J.W. Goethe
Conhecer o poeta Camões