Acesso rápido:
Ir diretamente para o conteúdo (Alt 1)Ir diretamente para a navegação secundária (Alt 3)Ir diretamente para a navegação principal (Alt 2)
sapato+Auto© lupadesign

sapato+Auto

A Alemanha é um dos países mais industrializados do mundo, produzindo e exportando bens dos mais variados tipos. No entanto, se a um cidadão estrangeiro for perguntado qual o produto com que mais identifica aquele país do centro da Europa, será surpreendente se a resposta não for: o automóvel. Este veículo de locomoção hoje em dia indispensável foi oficialmente criado precisamente na Alemanha, em 1886, por Carl Benz. Desde então, nunca mais o país de Goethe perdeu a sua vocação de construtor de automóveis, possuindo hoje algumas das marcas mais prestigiadas do mundo. Em termos quantitativos, só a China e os EUA produzem mais automóveis do que a Alemanha, que em 2010 colocou cerca de 5,5 milhões de novos veículos no mercado. Cerca de 800 mil pessoas trabalham na indústria automóvel alemã, a mais forte de toda a economia do país, a maior da Europa. Sem surpresa, mais de metade das exportações realizadas pela Alemanha são garantidas por este sector de actividade. Portugal, de resto, é um grande importador de automóveis alemães, sinónimos de qualidade e eficiência.

Já os alemães, que têm na caminhada, de preferência através da natureza, uma das suas grandes paixões, importam em grandes quantidades um outro meio de locomoção muito importante: o calçado. E, deste, muito é fabricado em Portugal. Há muitos anos que o nosso país se destaca pela excelente qualidade dos sapatos, sandálias, chinelos e outros acessórios de caminhada que produz. Antigamente eram sobretudo empresas internacionais que utilizavam a perícia lusitana para aqui produzirem o seu calçado, mas com o decorrer do tempo começaram a surgir cada vez mais marcas nacionais, com design próprio. Desta forma, a indústria do calçado continua a ser um dos grandes bastiões da economia do nosso país, com mais de 1300 fábricas ainda existentes, que empregam mais de 30 mil pessoas e produzem mais de 60 milhões de pares de sapatos por ano. À primeira vista, pode parecer haver uma grande diferença entre a indústria automóvel e a do calçado. Mas uma coisa é certa: sem qualquer uma delas, tanto o senhor Müller como o senhor Silva teriam uma capacidade de se movimentarem de um sítio para o outro muito mais limitada.

Youtube: Auto-Musik
Youtube: Schuhplattler