Cinema e Conversa Berlinale Panorama 40: Retrospetiva & conversa com Wieland Speck

Wieland Speck Foto: © Wieland Speck

20-28.09.2019
Conversa no Goethe-Institut: 23.09.2019, 18h00

Lisboa

Cinemateca Portuguesa
Rua Barata Salgueiro, 39
1269-059 Lisboa

No âmbito de Queer Lisboa 23

De 20 a 28 de setembro terá lugar a 23.ª edição do Queer Lisboa – Festival Internacional de Cinema Queer. No âmbito desta retrospetiva, o Goethe-Institut convida Wieland Speck para uma conversa com o público no dia 23 de setembro, às 18h.
 
Um dos destaques desta edição é a retrospetiva da secção Panorama da Berlinale, uma das mais ousadas e inspiradoras montras de cinema não-alinhado (incluindo o cinema queer) na Europa, por ocasião do seu 40.º aniversário. Em 2019, a Berlinale desafiou Wieland Speck, o ex-diretor artístico que durante mais tempo encabeçou o Panorama, e Andreas Struck, um dos curadores atuais da secção, a desenharem um programa que traçasse a sua história. Com o ciclo em Lisboa, programado em parceria com os dois curadores e em parceria com o Goethe-Institut, o Queer Lisboa pretende lançar um olhar retrospetivo sobre os filmes queer que fizeram a história do Panorama.
 
No âmbito desta retrospetiva, o Goethe-Institut convida Wieland Speck para uma conversa com o público no dia 23 de setembro, às 18h. Realizador, fundador do TEDDY Award e curador do Panorama entre 1993 e 2017, Speck estará à conversa com João Ferreira, diretor artístico do Queer Lisboa, permitindo conhecer em mais pormenor o seu trabalho de programação à frente da secção Panorama, bem como os desafios estéticos mas sobretudo políticos do trabalho de curadoria de cinema nos dias de hoje. A conversa dará também oportunidade de refletir as origens e a importância da criação do TEDDY Award e o seu trabalho na realização, e culminará numa reflexão mais alargada sobre o passado, presente e futuro do cinema queer.
 
O Queer Lisboa é o mais antigo festival de cinema de Lisboa e o único festival português com o propósito específico de exibir filmes de temática gay, lésbica, bissexual, transgénero e transsexual, pouco exibidos nos circuitos comerciais. O festival pretende trazer a Lisboa o que de mais relevante se faz no panorama mundial em termos estéticos e narrativos.

Voltar