Berlim Parque-aeroporto e solidariedade em garrafas: cinco coisas típicas de Berlim

Todos conhecemos este fenómeno, especialmente nas cidades: coisas pequenas – ou grandes – do quotidiano que simplesmente são típicas daquele lugar mas às quais já nos habituámos, e só quando estamos em viagem ou entre turistas nos apercebemos de que não é assim em todo o lado. Gostaria aqui de apresentar cinco coisas que são típicas de Berlim ou, como alguns turistas dizem, “That's so Berlin!”.

De Lucas Galindo

Caixa à entrada dum prédio Caixa à entrada dum prédio | Fotografia (excerto): Lucas Galindo

1.
Comecemos com algo de grandes dimensões: o Tempelhofer Feld. Em que outro lugar será normal haver a enorme superfície de um aeroporto no meio da cidade, acessível a todos? Não é bem um parque urbano no seu sentido mais comum, é antes um “espaço de lazer”, pois as antigas pistas de aterragem do aeroporto Berlin-Tempelhof não foram removidas. Este aeroporto tornou-se famoso pelo seu papel na ponte aérea durante o Bloqueio de Berlim em 1948/49, quando os Aliados forneceram mantimentos aos habitantes de Berlim por via aérea. O tráfego aéreo esteve ativo neste aeroporto entre 1923 e 2008, e desde 2010 que a sua superfície serve de parque. Hoje em dia, as pistas de aterragem são perfeitas para andar de bicicleta e de skate ou para correr e, quando o tempo está bom, parece que metade da cidade se reúne ali. Ao lado das pistas há também relvados, uma área para churrascos e outra dedicada a hortas urbanas. Especialmente agora, durante a pandemia, acho muito relaxante correr pelas pistas ou sentar-me entre o girassóis a comer um gelado. 

2. 
Outra coisa que gostamos de fazer aqui é não deitar simplesmente fora coisas usadas, mas sim colocá-las à entrada do prédio ou na rua. Não há um dia em que eu não veja caixas com livros, brinquedos ou roupa enquanto ando na rua. Muitas pessoas colocam na rua produtos em bom estado, inclusivamente móveis. Uma amiga minha mobilou toda a casa praticamente só com móveis que encontrou, e a minha mesa da televisão, por sinal bem bonita, também veio da rua. Ok, algumas pessoas não se dão ao trabalho e simplesmente põem na rua eletrodomésticos avariados ou colchões sujos que deveriam ir para o lixo. No entanto, isto não deixa de ser uma coisa boa. No apartamento onde morei anteriormente tínhamos quase sempre um bazar na entrada e havia até um suporte para cabides à disposição.  

3. 
Quando fiz a pergunta acerca do que há de especial em Berlim, várias pessoas salientaram os parques infantis fora do comum – não só pelo facto de serem tão criativos e concebidos tendo em conta elementos artísticos, mas também por serem muitas vezes tão perigosos que, noutros países, seriam proibidos. Eu nunca tinha reparado nisso. Mas é verdade – lembro-me de, quando morava no bairro de Neukölln, admirar o parque infantil “1001 Noites” pelo seu design imaginativo e adequado à elevada percentagem de famílias árabes e turcas que ali vivem.  

Garrafas ao lado dos caixotes do lixo Garrafas ao lado dos caixotes do lixo | Fotografia (excerto): Lucas Galindo 4.
Uma outra prática da qual eu gosto imenso é a de colocar garrafas ao lado dos caixotes do lixo. Só é possível compreender isto quando se conhece o sistema alemão de depósito de garrafas. As garrafas e latas de bebidas geralmente custam entre 8 e 25 cêntimos a mais. No entanto, quando se faz a sua devolução nas máquinas que existem para o efeito, recupera-se esse dinheiro. Este sistema existe por motivos ecológicos, para promover a reciclagem ou a reutilização. Mas por que razão se colocam as garrafas ao lado dos caixotes do lixo? Há pessoas sem-abrigo ou com problemas financeiros que recolhem as garrafas vazias para receberem o dinheiro do depósito. Em Berlim, colocamos as garrafas ao lado do caixote do lixo num gesto solidário, para que essas pessoas não sejam obrigadas a remexer no lixo.

5.
E o que seria de Berlim sem as suas pessoas que se vestem de forma interessante!? Muita gente gosta de viver aqui porque se pode andar na rua como se quiser, sem se ser julgado por isso. Roupa desportiva estragada, ténis estranhos, muita pele à mostra, estilo punk, tecno ou artístico – há sempre para onde olhar. No entanto, vestir-se de forma cara e luxuosa geralmente não é bem visto, simplesmente não é típico de Berlim – ao contrário de Munique ou Düsseldorf. O estilo de Berlim é mais descontraído, sujo e alternativo. 

Esta é apenas uma pequena seleção de coisas típicas do nosso dia a dia urbano. Deixei de fora coisas menos agradáveis, e o tema “comida e bebidas” seria só por si suficiente para encher um artigo inteiro. Bem-vindos a Berlim!