sustentabilidade Dicas contra o desperdício alimentar

De acordo com o Ministério Federal de Alimentação e Agricultura, todos os anos são deitadas fora na Alemanha cerca de 11 milhões de toneladas de alimentos. Além de «fazer uma lista de compras» ou «não ir às compras com fome», Katrin Ackermann apresenta-vos aqui outras dicas para reduzir o desperdício alimentar.

De Katrin Ackermann

Alimentos resgatados Alimentos resgatados | Foto: Katrin Ackermann
Terminou há pouco tempo a «Semana de Ação contra o Desperdício Alimentar» deste ano, que é organizada pelo Ministério Federal de Alimentação e Agricultura e apresenta diversos projetos e ações dedicados ao tema do desperdício alimentar. Com efeito, todos os anos são produzidas várias toneladas de lixo pela indústria e pelo comércio grossista, como, por exemplo, em supermercados ou na restauração. A maior parte, isto é, 59 por cento dos alimentos deitados fora tem origem, contudo, nos domicílios privados. Daí a pergunta: o que cada um e uma de nós pode fazer no dia a dia para o evitar?

Comprar com mais consciência

Muitos dos problemas começam logo nas compras. Compramos alimentos em quantidades que talvez não consigamos consumir em tempo útil, porque, por exemplo, alguns produtos são vendidos em tamanhos padronizados. Uma ideia para o contrariar poderia ser fazer compras numa loja sem embalagens. Ali os produtos são, por vezes, um pouco mais caros, mas em compensação podes levar os teus próprios recipientes e enchê-los de acordo com o que realmente necessitas.

Muitos resíduos têm origem em supermercados – são descartados produtos que, por exemplo, ultrapassaram o prazo mínimo de validade ou que não correspondam visualmente à norma. Agora existem soluções para isso:

Em muitos supermercados há, hoje em dia, caixas onde se encontram fruta e legumes de aspeto algo deformado e que em condições normais não vão parar às prateleiras. Assim, a cenoura até pode ser um pouco torta, mas em compensação o preço é mais baixo e o sabor é igual ao de uma cenoura não-torta.

Mas também existem lojas que se dedicam precisamente a estes problemas, ou seja, oferecem artigos fora de prazo e descartados. É que, na maior parte dos casos, o doce ou a barra de muesli que já passaram o prazo mínimo de validade há algumas semanas, ainda hoje podem ser consumidos sem preocupações. Nestas lojas especiais, habitualmente, não pagas um preço fixo, antes agradeces com um donativo. Pensas no valor que a compra tem para ti e escolhes a quantia a pagar. Provavelmente, isso é bom não só para a tua carteira, mas também para os alimentos que ainda estão perfeitamente comestíveis e são assim salvos do lixo.

Se se tratar de produtos de panificação, muitas padarias oferecem hoje a possibilidade de comprar pão da véspera. Também assim podes poupar dinheiro e salvar um delicioso pão do caixote do lixo.

Salvar alimentos através de iniciativas

O mercado para iniciativas que se ocupam do food waste cresce constantemente. Um exemplo é a aplicação TooGoodToGo, que oferece a hotéis, cafés, padarias e restaurantes a possibilidade de vender por um par de euros os artigos que sobraram, antes de fecharem a loja. Dessa forma podes ajudar, de forma objetiva, a reduzir o excesso de alimentos e recebes sacos-surpresa deliciosos por pouco dinheiro. Além disso, a iniciativa TooGoodToGo disponibiliza, na sua página e nas suas redes sociais, algumas informações, estudos e dicas sobre o tema do desperdício alimentar.

Se quiseres dedicar mais tempo à salvação de alimentos, podes pensar em fazer parte da iniciativa Foodsharing. Como food saver voluntário, recolhes alimentos descartados ou sobrantes das empresas cooperantes e consome-los tu, partilha-los com amigos ou vizinhos, ou leva-los aos chamados «distribuidores justos». Estes são locais de acesso público com prateleiras e frigoríficos nos quais os alimentos podem ser distribuídos, ou seja, depositados e novamente levados e consumidos. Atualmente o food sharing está ativo em toda a Alemanha e até para lá das fronteiras do país.

Alimentos no domicílio

Mas como posso agora reduzir objetivamente o lixo alimentar no meu próprio domicílio? O principal é, provavelmente, o planeamento das refeições e o armazenamento correto dos alimentos. Mesmo que possa ser difícil manter uma visão geral sobre os stocks, é importante confirmar constantemente o que ainda há e qual a validade dos produtos.

Ao cozinhar podes pensar nas iguarias que ainda podes fazer com os restos. Por exemplo, não deitar fora as cascas de legumes sobrantes, mas sim cozinhar um saboroso caldo com elas. Ou, também por exemplo, preparar migalhas de pão ou bolinhos a partir de restos de pão. Se tiveres cozinhado demasiado, congela uma parte em porções, dessa forma podes saboreá-lo noutro dia.

Podes prolongar a validade dos teus alimentos armazenando-os corretamente. Seja na despensa seca e escura, na gaveta dos legumes do frigorífico ou em água: cada alimento é diferente, pelo que deves respeitar individualmente as suas necessidades.

Faz um plano e espreita frequentemente o teu frigorífico e a despensa. Sê criativo e pensa no que podes fazer com o que tens. Dessa forma podem, por vezes, surgir os pratos mais interessantes. Da compra à refeição pronta, passando pela confeção – existem muitas possibilidades para reduzir o food waste e dar aos alimentos uma segunda oportunidade.