Entrevista em vídeo Uma internet justa?

Nanjira Sambuli
Foto (detalhe): © Goethe-Institut

A ideia de que nossa realidade se divide em um mundo analógico de bondes, cafeterias e cartões postais e um mundo digital, bem distante do outro, composto de zeros e uns, lojas online e pessoas que jogam World of Warcraft, pertence ao passado.

No mínimo desde que estamos rodeados pela internet das coisas, ou seja, por objetos cotidianos que foram equipados com inteligência artificial, precisamos de novas imagens para explicar nossa relação com a internet.

A ciberativista Najira Sambuli explica como reproduzimos os problemas históricos de nossa sociedade na internet. A rege global, porém, não funciona como uma derivação pura que tem que copiar o sexismo e os padrões coloniais. A mudança de época gerada pelo desenvolvimento da internet oferece também oportunidades para tranformar as estruturas de poder.
Quem produz e quem consome conhecimento? Quem pode processar textos e produzir vídeos? Sambuli anseia por uma mudança radical, pelo fim da desigualdade e por tecnologias que promovam a liberdade, a igualdade e a diversidade em vez das tradicionais ideologias de opressão.