Pascale Obolo

Pascale Obolo

Cineasta

  • Cultura da lembrança, Produção pós-colonial de arte, Decolonização, Elaboração do passado colonial

  • Jaunde (Cameroon)

Pascale Obolo é cineasta independente e curadora independente, e editora da revista de arte Afrikadaa. Nascida em Iaundé, Camarões, ela estudou direção no Conservatoire Libre du Cinéma Français e fez seu mestrado na Universidade de Paris VIII no Departamento de Cinema Experimental. A cineasta feminista traz sua própria perspectiva sobre a posição da mulher nos círculos artísticos. Seus filmes ganharam prêmios em inúmeros festivais. Como ativista, sua obra questiona memórias e se dedica aos temas identidade, exílio, invisibilidade. Pascale Obolo produz e encena por paixão às artes visuais “objetos fílmicos”, pois recusa-se a ser catalogada em um gênero cinematográfico. Seu filme Calypso Rose: The Lioness of the Jungle (Calypso Rose: a leoa da floresta) ganhou, em março de 2013, o Prêmio Yennega de prata na seção de documentários do Festival Fespaco. Sua obra mais recente questiona arquivos através da construção de narrativas históricas a partir de uma perspectiva pós-colonial, através de representações visuais e culturais da história política e econômica, através de fotografia, vídeo e performance. Em suas narrativas, ela trata de memórias e seus efeitos nas sociedades atuais. Pascale Obolo é fundadora da Afrikadaa, uma revista sobre a arte contemporânea africana. Ela também dirige a African Art Book Fair (AABF), uma feira independente de editoras que se concentra na prática redacional e apoia publicações singulares e de qualidade. Pascale Obolo é tutora da oficina da revista Magasin des horizons, em Grenoble, e participa do conselho científico da Escola de Arte da Ilha da Reunião.

Contribuições de Pascale Obolo