Por que os ODS importam agora mais do que nunca

Fotos subaquáticas de tartarugas marinhas e  tartaruga-de-pente tiradas no Parque Nacional de Komodo e ao redor da Ilha Gili, na Indonésia / Tartarugas marinhas nParque Nacional de Komodo e na Ilha Gili, Indonésia | © iStock-1077092686 Aaron Bull
Tahun 2020 diperkirakan menjadi tonggak penting bagi kerja sama internasional—berbagai konferensi global mengenai keanekaragaman hayati, perubahan iklim, kesetaraan gender, dan masih banyak lagi telah direncanakan. Namun, suasana pada tahun yang sedianya diwarnai dengan cita-cita besar dan tindakan nyata ini seketika berubah akibat pandemi COVID-19. Proses untuk melanjutkan perjalanan sebelumnya bisa jadi akan semakin menantang.

É por isso que precisamos mais do que nunca dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) . Os ODSs podem orientar como vamos reconstruir um mundo melhor depois da COVID-19. Esta crise não é um incidente isolado. É um elo de uma cadeia maior de inação climática, destruição de habitats, colapso dos sistemas de saúde pública e aumento das disparidades de renda e gênero que impõem obstáculos a todos nós. Os ODS estão lá para nos impulsionar em todas essas frentes.

Podemos vencer essa corrida?

Na última década, testemunhamos alguns sucessos significativos. As taxas de pobreza extrema e mortalidade infantil continuam a cair.[1] As taxas de matrícula nas escolas aumentaram e a eletrificação global aumentou para 89%[2]. Muitos dos outros objetivos estão mostrando um aumento lento, mas constante. Mas nenhuma vitória é garantida. Como ainda faltam algumas coisas a fazer antes da linha de chegada em 2030, a crise do COVID-19 ameaça nos desacelerar.
 
Mesmo antes da pandemia, estudos estimavam que 135 milhões de pessoas estavam enfrentando níveis de crise de fome e insegurança alimentar. Agora, o impacto da pandemia está levando mais 130 milhões de pessoas a passar fome[3]. As medidas de lockdown estão afetando quase 2,7 bilhões de trabalhadores — quase 81% da força de trabalho do mundo — muitos dos quais não são cobertos por medidas de proteção social[4]. As paralisações escolares estão afetando 91% dos estudantes do mundo[1], e muitos deles se encontram em países em desenvolvimento, cuja educação não pode ser salva pela tecnologia. As mulheres estão na linha de frente da luta contra a COVID-19 como profissionais de saúde, cuidadoras e trabalhadoras informais. No entanto, além da constante ameaça à saúde e ao bem-estar, agora elas também estão enfrentando o aumento das taxas de violência doméstica.



A escassez de água ainda afeta um sexto da população da Terra. As crianças nos países em desenvolvimento sofrem mais com esse problema, que causa desnutrição e problemas de saúde / A escassez de água ainda afeta um sexto da população da Terra | © iStock-490824660 borgogniels


O número de áreas protegidas está aumentando e a perda de cobertura florestal está diminuindo. Mas a invasão implacável do habitat, a perda de biodiversidade e o colapso dos ecossistemas continuam. Os especialistas observam que uma nova infecção surge a cada quatro meses entre os seres humanos e quase 75% de todas as doenças emergentes podem ser rastreadas até os animais[1], sendo a COVID-19 o caso mais recente.

Como reconstruímos um mundo ainda melhor que antes

Não alcançaremos muitas das metas da Agenda 2030 se continuarmos assim. Não faz sentido continuar fazendo tudo como antes. Mas não é tarde demais para mudar de marcha.
 
O lado positivo de tudo isso é que os ODS estão interconectados. Investir na resposta certa para um objetivo pode nos ajudar a alcançar muitos outros. A recuperação dessa pandemia e recessão globais, se realizadas de maneira inclusiva e atenta ao clima, pode ser uma oportunidade real não apenas para o meio ambiente, a saúde pública, a pobreza e o emprego.


Crianças sentadas nas escadas do campo de refugiados de Lagadikia, cerca de 40 km ao norte de Tessal}ônica, durante a visita de Filippo Grandi, Alto Comissário da ONU para Refugiados  / Crianças sentadas nas escadas do campo de refugiados de Lagadikia, cerca de 40 km ao norte de Tessal}ônica | © iStock-594946600 verve231
 

Quais devem ser nossos próximos passos para alcançar os ODS quando sairmos desta crise?

 
Atingir os ODS é uma questão de defender a natureza. A crise da COVID-19 é um alerta da natureza. A saúde do nosso planeta e seus ecossistemas está diretamente ligada à nossa própria saúde e à saúde de nossas economias. Proteger e restaurar nossas florestas, manguezais e habitats costeiros e marinhos nos ajuda a atingir vários objetivos, desde enfrentar as mudanças climáticas até tirar milhões de pessoas da pobreza. É mais urgente do que nunca que reavaliemos esse relacionamento, observando tudo o que a natureza fez por nós à medida que nos recuperamos dessa crise.
 
Alcançar os ODS é uma questão de seguir a ciência. Vivemos tempos de desconfiança em evidências, fatos e ciência. Basta um clique para que as teorias de desinformação e conspiração se espalhem. É o trabalho de cientistas, acadêmicos e especialistas que deve nos guiar para sair dessa pandemia e nos impulsionar para os ODS. Não pode existir outra alternativa que substitua a formulação de políticas com base em evidências. Os climatologistas, em particular, estão soando alarmes, alertando que, se não reduzirmos nossas emissões em 7,6% a cada ano na próxima década[1], não seremos capazes de conter as temperaturas globais dentro do limite de 1,5 grau. As lentas crises ambientais logo se transformarão em problemas maiores de  insegurança alimentar, desastres e condições climáticas extremas, e crises de saúde pública mais frequentes, como essa pandemia. Agora é a hora de tomar atitudes bem informadas.
 
Atingir os ODS é uma questão de fazer escolhas inteligentes, em nível institucional e individual. Os pacotes de estímulo fiscal devem abraçar as oportunidades de priorizar uma economia mais ecológica, remover subsídios dos combustíveis fósseis e ajudar a criar empregos ecológicos, que proporcionem proteção social e emprego decente e sustentável. No nível individual, cabe a cada um de nós escolher estilos de vida mais sustentáveis, tentar fechar o ciclo do que consumimos e fazer nossa parte para combater a poluição.


Multidão de pessoas usando máscaras cirúrgicas na hora do rush em 18 de março de 2020 em Bangcoc, Tailândia Multidão de pessoas usando máscaras cirúrgicas na hora do rush em Bangcoc, Tailândia | © iStock-1215697335 Tzido


E atingir os ODS é uma questão de solidariedade. Os ODS servem como um lembrete de que nada é possível sem responsabilidade e colaboração compartilhadas. Sem compartilhar a responsabilidade, corremos o risco de deixar inúmeras pessoas para trás. Devemos estar juntos com aqueles que já têm muito a perder — mulheres; jovens; trabalhadores de baixa renda, informais e assistenciais; pessoas com deficiência; refugiados; requerentes de asilo; populações deslocadas e comunidades marginalizadas — se quisermos cruzar a linha de chegada.
 
Para que tudo isso aconteça, devemos estar informados e responsabilizar aqueles que estão no poder. Nós devemos nos engajar e nos educar. Para as gerações que vêm depois de nós, devemos seguir sempre em frente, continuar conversando e inspirando uns aos outros a fazer melhor pelo planeta, por todas as pessoas e pela prosperidade.


Objetivos de Desenvolvimento Sustentável
WHO - Pandemia de COVID-19