Revoltas 1968… e quarenta anos depois

In der Universitätsstadt Córdoba und in zahlreichen anderen Städten kam es im Mai 1969 zu zahlreichen Demonstrationen, Streiks und Unruhen gegen die Regierung; Copyright: picture alliance

Signos da "guerra revolucionária"

Argentina, 1968. Frente a reconstruções retrospectivas que harmonizam o Maio francês com a Primavera de Praga e as rebeldias latino-americanas, é preciso restituir os relevos ásperos e contraditórios desse tempo histórico. De Hugo VenzettiLeia mais ...
Passeata dos Cem Mil, Cinelândia, Rio de Janeiro, 26 de junho de 1968; Copyright: Evandro Teixeira

Construindo a autodeterminação

Sobre a revolta brasileira, a luta armada contra a ditadura e seus frutos tardios. De Maria Paula Nascimento AraujoLeia mais ...
Vista da praça de Tlatelolco a partir do Memorial, 2007; Copyright: Centro Cultural Universitario Tlatelolco (CCUT)

Rememorar uma revolta?

No outono de 2007 foi inaugurado na praça de Tlatelolco o „Memorial del 68“, um recorrido museístico e de multimídia pelas revoltas estudantis, antes que elas fossem sufocadas no dia 2 de outubro de 1968, terminando num massacre sangrento. De Anne HuffschmidLeia mais ...
María, Andrea e Charo; Copyright: Natalia Iguiñiz Boggio

Democracia no país e democracia em casa

Embora a discriminação formal da mulher na política e na vida pública tenha sido quase que eliminada na maior parte dos países da América Latina, as estruturas patriarcais continuam sendo um empecilho para uma verdadeira igualdade entre os gêneros. De Barbara PotthastLeia mais ...
'Amaranta', Jorge Gómez Regalado aos 26 anos, Copyright: Vittorio D'Onofri

Muxe: o terceiro sexo

Justo no México, “país do machismo”, há uma localidade que se distingue nitidamente de suas cercanias: é Juchitán, a cidade com mais do que dois sexos. De Veronika Bennholdt-ThomsenLeia mais ...