7 perguntas para...

Marcus Vinicius Mazzari

Nasceu em 1958 em São Carlos-SP

1982 Letras - USP.

mazzari@usp.br


Como você chegou à tradução?
A partir de um convite para traduzir alguns ensaios de Walter Benjamin.

Sob quais critérios você busca um texto para traduzir?
Em primeiro lugar, o meu interesse pessoal pelo texto.

Para você, o contato com o autor da obra é importante? Justifique.
Sim, pois pode ajudar a esclarecer dúvidas que se apresentam a todo tradutor.

Qual obra traduzida por você se distanciou mais da cultura brasileira?
O Rabi de Bacherach, de Heinrich Heine, por estar ambientado num gueto medieval de Frankfurt.

Em uma tradução, qual dificuldade linguística já levou você ao desespero?
Traduzindo certa vez um artigo de Heinrich Heine, topei com uma referência às “arvorezinhas” de Roterdã, onde o poeta diz ter travado contato com o traficante de escravos Mynheer van der Null. Tive de pesquisar muito para descobrir que essas “arvorezinhas” aludem à rua Boompjes (“arvorezinhas” em holandês), importante centro de comércio negreiro em Roterdã.

Autor(a) ou livro alemão preferido:
Fausto de Goethe.

Qual livro gostaria de traduzir e por quê?
Gostaria de traduzir Parzifal, de Wolfram von Eschenbach, a partir do médio alto alemão (Mittelhochdeutsch). É um dos livros que mais me fascinam, desde que acompanhei, ao longo de várias semanas, uma leitura comentada de Peter Wapnewski.

  ©
Obras traduzidas do alemão para o português:

Marx, Karl
Manifesto comunista / Karl Marx ; Friedrich Engels.
São Paulo: Hedra, 2010. 118 p.
ISBN 978-85-7715-19
Título original: Manifest der Kommunistischen Partei, 1848.


Heine, Heinrich
O Rabi de Bacherach / Heinrich Heine. São Paulo: Hucitec,
2009. 141 p. (Literatura Estrangeira ; 4)
ISBN 978-85-271-0204-8
Título original: Der Rabbi von Bacherach.

Bibliografia completa