Acesso rápido:

Ir diretamente para o conteúdo (Alt 1)Ir diretamente para a navegação secundária (Alt 3)Ir diretamente para a navegação principal (Alt 2)
Várias pessoas em diferentes fases da vida.Gráfico: Tobias Schrank © Goethe-Institut

Assuntos de Família

O projecto Family Matters/Assuntos de Família explora vários aspectos da unidade familiar em sete países africanos. Da religião e finanças ao casamento e viagens: 29 famílias contam as suas histórias através de entrevistas, em formato vídeo, áudio, fotográfico e textual. Esta exposição online proporciona aos espectadores uma visão da percepção que as pessoas têm da unidade familiar, das dinâmicas de poder, da extensão do conceito de família e das relações com as gerações anteriores.

Foto da família Bonkoungou © Harouna Marané

Burkina Faso

Famílias do Burkina Faso partilham as suas histórias de migração, de paternidade, de religião e do laço de sangue. O vínculo de uma pessoa com outra por descendência é o centro da vida e a estrutura de uma família, como o resto da vida, é definida pelas crenças desta família.

Foto da família Kruger/Ndamonako © Lila Swanepoel para Goethe-Institut

Namibia

A Namíbia é explorada através de pequenos vídeos nos quais os espectadores são recebidos nas casas de cinco famílias que partilham as suas vidas e histórias. De um casal do mesmo sexo á família cristã tradicional, do exílio durante a luta de libertação ao acolhimento dum enteado na família, estes vídeos são o testemunho de um país africano jovem e diverso.
 

Angola

Angola conta histórias da guerra civil, da riqueza dos recursos naturais e do poder da música como forma de expressão. Os seus habitantes sofreram muito e alguns foram forçados a abandonar as suas casas devido à situação, inspirando aqueles que ficaram para trás. Os vendedores de rua lutam pela estabilidade, como todos nós fazemos.

Foto da família Mwami © Myra Dunoyer Vahighene para Goethe-Institut

República Democrática do Congo

A RDC se mostra através do olhar da realeza, de uma família urbana, um muçulmano polígamo e uma mãe de seis com um marido alcoólico. Os vídeos permitem uma visão dos lares individuais, desde a salvaguarda de tradições pela importância da educação terciária até a relação com as gerações anteriores.
 

A família da Arya na cozinha Julian Manjahi/Goethe-Institut Nairobi

Quénia

Mulheres da Quénia nos recebem nas suas vidas de famílias de escolha, de estado de refugiados e de falta de tecto. A pandemia da Covid tem acelerado muitas dinâmicas na vida das pessoas; algumas boas e algumas más. Um homem partilha a sua história de uma relação de longa distância. Apesar da “nova norma” e de acontecimentos trágicos imprevistos, uma coisa mantem-se: o espírito comunitário da humanidade

A família Simons © Zara Julius

África do Sul

Duas famílias partilham suas histórias de vivência no Bo Kaap na Cidade do Cabo e no assentamento Shayandima no nordeste da África da Sul, respectivamente. Tanto no oeste quanto no leste, a centenas de quilómetros de distância, ambas famílias falam de tradições e religião, e sobre viver embaixo do mesmo tecto. Os filmes falam nas proximidades das famílias; um descendente judeu de Senna, e o outro, descendente de pessoas escravizadas da Indonésia.
 

Foto de Betty Mukamulisa © Goethe-Intitut Ruanda

Ruanda

Num país com uma história como a de Ruanda, é quase impossível não enfrentar o passado quando se examina as diferentes leituras da unidade familiar, que na visão de alguns não vai além da família nuclear. Mesmo assim, os nascidos na época pós-colonial, os “born frees”, não perderam o espírito de humanidade e consideram a família como ponto de partida da vida. Pessoas individuais permitem ao espectador uma impressão das emoções de uma filha e relatam como o amor dá confiança.

Curadoras

Helen Harriy e Gina Figuera

Gina and Helen slide ©StArt