Acesso rápido:

Ir diretamente para o conteúdo (Alt 1)Ir diretamente para a navegação secundária (Alt 3)Ir diretamente para a navegação principal (Alt 2)
Várias pessoas em diferentes fases da vida.Gráfico: Tobias Schrank © Goethe-Institut

Assuntos de Família - Quénia

Mulheres da Quénia nos recebem nas suas vidas de famílias de escolha, de estado de refugiados e de falta de tecto. A pandemia da Covid tem acelerado muitas dinâmicas na vida das pessoas; algumas boas e algumas más. Um homem partilha a sua história de uma relação de longa distância.  Apesar da “nova norma” e de acontecimentos trágicos imprevistos, uma coisa mantem-se: o espírito comunitário da humanidade.
 

Mais sobre estruturas familiares no Quénia

Zainabu

Zainabu, 39, é mãe de três filhos entre 8 e 14 anos, que vão todos à escola. Ela foi criada numa pequena cidade industrial, numa família extensa. Descreve a sua família de origem como um conglomerado de lares de diferentes gerações.
  • Zainabu com os seus três filhos e outros filhos da sua família © Julian Manjahi/Goethe-Institut Nairobi
    Zainabu com os seus três filhos e outros filhos da sua família
  • Os dois filhos e a filha de Zainabu © Julian Manjahi/Goethe-Institut Nairobi
    Os dois filhos e a filha de Zainabu
  • As crianças da família reúnem-se em torno de Zainabu (39 anos) © Julian Manjahi/Goethe-Institut Nairobi
    As crianças da família reúnem-se em torno de Zainabu (39 anos)
  • Uma ilustração de Zainabu com a sua família © Nzilani Simu/Goethe-Institut
    Uma ilustração de Zainabu com a sua família
Entrevista com Zainabu

Arya

Arya é uma mulher trans de trinta e poucos anos. Ela atua como líder familiar de uma family of choice (família por escolha) de 6 pessoas queer, que inclui um homem trans, uma mulher trans, duas lésbicas, uma pessoa que não se enquadra em categorias de gênero e uma mulher cis-héterosexual. A família por escolha é um dos modelos de família mais marginalizados e excluídos pela sociedade maioritária na África em geral e no Quénia em particular.
  • A família queer reunida na cozinha © Julian Manjahi/Goethe-Institut Nairobi
    A família queer reunida na cozinha
  • Arya, a fundadora da casa, com a sua família escolhida © Julian Manjahi/Goethe-Institut Nairobi
    Arya, a fundadora da casa, com a sua família escolhida
  • Uma ilustração de Arya e da sua família © Nzilani Simu/Goethe-Institut
    Uma ilustração de Arya e da sua família
Entrevista com Arya

Lucy

Lucy é uma refugiada do Sudão do Sul. Ela tem 47 anos, é viúva e cuida de cinco crianças também refugiadas. Lucy trabalha por conta própria na fabricação de vestuário, costurando almofadas e roupas femininas e infantis. Ela casou-se com o seu falecido marido aos 20 anos de idade, em 1993, e um ano depois foram obrigados a fugirem para Nairóbi, Quénia, devido à longa guerra civil.
 
  • Lucy com uma dos seus cinco filhos refugiados. Têm uma foto do falecido marido © Julian Manjahi/Goethe-Institut Nairobi
    Lucy com uma dos seus cinco filhos refugiados. Têm uma foto do falecido marido
  • Lucy e a sua "filha" com o cão comum. © Julian Manjahi/Goethe-Institut Nairobi
    Lucy e a sua "filha" com o cão comum.
  • Fotos de família antigas com o marido de Lucy que morreu em 2006 © Julian Manjahi/Goethe-Institut Nairobi
    Fotos de família antigas com o marido de Lucy que morreu em 2006
  • Uma ilustração de Lucy e da sua família © Nzilani Simu/Goethe-Institut
    Uma ilustração de Lucy e da sua família
Entrevista com Lucy

Mary

Mary tem 23 nos e é mãe solteira de uma filha de dois meses. Elas vivem nas ruas de Nairóbi, Quénia. Ela nasceu em Naruko Town, filha de uma mãe solteira e irmã de mais cinco. Mary mudou-se para Nairóbi em Março de 2020 em busca de uma vida melhor, devido à pobreza na sua cidade natal.

 
  • Várias pessoas reúnem-se numa rua na capital do Quénia, Nairobi © Julian Manjahi/Goethe-Institut Nairobi
    Várias pessoas reúnem-se numa rua na capital do Quénia, Nairobi
  • Mary e um membro da sua família que vive na rua © Julian Manjahi/Goethe-Institut Nairobi
    Mary e um membro da sua família que vive na rua
  • Mary com o seu bebê de dois meses de idade nos braços © Julian Manjahi/Goethe-Institut Nairobi
    Mary com o seu bebê de dois meses de idade nos braços
  • Uma ilustração de Mary e do seu pequeno bebé © Nzilani Simu/Goethe-Institut
    Uma ilustração de Mary e do seu pequeno bebé
Entrevista com Mary

Phillip

Phillip é um homem de 44 anos, tem uma mulher e quatro filhos. Ele é um cristão confesso e actualmente trabalha como motoboy. A sua esposa vive no vilarejo deles no interior, a monitorar a construção da sua casa permanente na terra dos seus ancestrais. Phillip visita a sua família cada duas semanas.
  • Phillip tem nas suas mãos a fotografia da sua família © Julian Manjahi/Goethe-Institut Nairobi
    Phillip tem nas suas mãos a fotografia da sua família
  • Uma ilustração de Phillip e da sua família © Nzilani Simu/Goethe-Institut
    Uma ilustração de Phillip e da sua família
  Entrevista com Phillip