Comunicados de Imprensa

Goethe-Institut Imprensa Foto: IStock

7 de Novembro 2019

O museu é vosso – um olhar para o futuro do MNA - Série de eventos no Museu Nacional de Antropolgia

​No dia 23 de Novembro, o Museu Nacional de Antropologia, o Museu Etnológico de Berlim e o Goethe-Institut Angola vão celebrar o primeiro ano da sua colaboração com uma festa no Museu Nacional de Antropologia: um dia de eventos com filmes, visitas guiadas, música, dança e muito mais para visitantes jovens e adultos. Acima de tudo, queremos convidar todos a trocar novas ideias para o futuro do Museu Nacional de Antropologia. Por isso o nosso lema: “O museu é vosso - um olhar para o futuro do MNA”. Dois painéis de discussão no museu darão início ao evento:

Especialistas de Berlim e Luanda vão discutir novas abordagens ao trabalho museológico para o MNA numa "Oficina de Futuro", que terá lugar na terça-feira, 19 de Novembro, as 18h30. Os peritos: Paola Ivanov (Museu Etnológico de Berlim), Ana Clara Guerra Marques (Companhia da Dança Contemporânea), Manzambi Vuvu Fernando (Universidade Agostinho Neto) e Adriano Sebastião Mixinge (Memorial Dr. António Agostinho Neto). O escritor e jornalista José Luis Mendonça moderará.

Na quinta-feira, 21 de Novembro de 2019, o realizador Carlos da Silva Pinto (Berlim), a Engrácia de Oliveira (Museu Nacional de Antropologia) e a Paola Ivanov (Museu Etnológico de Berlim) vão falar sobre a realização das suas curtas-metragens sobre cinco objectos dos museus antropológicos de Luanda e Berlim: Os filmes foram gravados em Julho de 2019 em várias províncias de Angola. Artistas e especialistas das comunidades de origem explicam os objectos típicos e únicos de ambos os museus. A partir do próximo ano, os filmes serão exibidos permanentemente nas exposições dos museus antropológicos de Berlim e Luanda.

No sábado, 23 de novembro de 2019, o dia de eventos começará às 14 horas. Serão dinamizados e concretizados numerosos projectos iniciados neste e no último ano. Haverá visitas guiadas para as crianças, baseadas no conceito de novas "fichas pedagógicas". Além disso, todas as crianças são convidadas a leituras em voz alta. Para se fortalecer, os pequenos podem comer pipoca e algodão doce no pátio do museu. Lá, jovens e adultos também podem ver artesãos a trabalhar.

Além disso, as cinco novas curtas-metragens para as exposições permanentes dos dois museus celebrarão a estreia. Depois de serem explicados pelo realizador, Carlos da Silva Pinto, os filmes serão exibidos ao longo do dia. Para além disso, estudantes da Universidade de Lusíada mostrarão como podia ser uma cafetaria no pátio interior do Museu Nacional de Antropologia. Desenvolveram os seus projectos no âmbito do 14º Fórum de Arquitectura de Luanda. Finalmente, Estelle Nerot (Alliance Française) e Evelize Njinga Candiza (Museu Nacional de Antropologia) apresentarão o novo site do museu, que estará online em Novembro. À noite haverá uma festa com música e dança no pátio (fim por volta das 22h00).

Por ocasião da semana de eventos, perguntámos também a artistas e especialistas de museologia sobre as suas ideias para o futuro do Museu Nacional de Antropologia. Nós publicamos suas respostas em nosso site.

O sinal de partida para a cooperação entre os dois museus e o Goethe-Institut foi dado por um projecto conjunto das embaixadas da França e da Alemanha, da Alliance Française e do Goethe-Institut Angola, financiado pelo Fundo Cultural Franco-Alemão. Os resultados deste projecto, o novo website do museu e as "fichas pedagógicas" para as visitas guiadas para crianças serão apresentadas ao público pela primeira vez no nosso dia de eventos.
 

Programa

Terça-feira, 19 de Novembro, 18h30: painel de discussão "Oficina do futuro".
 
Quinta-feira, 21. Novembro, 18h30: painel de discussão "Nossas Objectos - Nossas Histórias"
 
Sábado, 23 de Novembro, 14h00 – 22h00: "O museu é vosso - um dia de Eventos":
14h30: Fichas pedagógicas – Visita guiada para crianças I
15h30: Leitura para crianças I
16h00: Fichas pedagógicas – Visita guiada para crianças II
16h30: Apresentações dos resultados do concurso de arquitectura
17h00: Leitura para crianças II
17h00: Apresentação da nova página web
18h00: Apresentação dos vídeos pelo relizador
19h00: Música e dança (DJ)
14h00-22h00: Apresentação contínua dos vídeos; exposição dos resultados do concurso de arquitectura; artesãos: trabalho e venda no museu; pipoca e algodão doce
 

Local de todos os eventos

Museu Nacional de Antropologia (MNA)
Avenida de Portugal, ex Friedrich Engels nº 61, Luanda – Angola
-Entrada livre-
 

Contacto

Goethe-Institut Angola
Gabriele Stiller-Kern
gabriele.stiller-kern@goethe.de
Telemóvel: +244 929 247 355
 

parceiros

Museu Nacional de Antropologia (DINAM)
Museu Ethnológico de Berlim (SMB/SPK)
Alliance Française Luanda
Embaixada da Alemanha
Embaixada da França
Universidade Lusíada Luanda

7 de Novembro 2019

Henrike Grohs Art Award 2020 – open call launches 15 October

O Prêmio de Arte Henrike Grohs é um prêmio de arte bienal itinerante concebido pelo Goethe-Institut e pela família Grohs em memória da antiga chefe do Goethe-Institut de Abidjan, Henrike Grohs.

As candidaturas ao 2º Prémio de Arte Henrike Grohs serão abertas no dia 15 de Outubro e encerradas no dia 15 de Novembro de 2019. O prémio vai ser atribuído numa cerimónia conjunta com a Dak'Art - Bienal de Arte Africana Contemporânea em Maio de 2020. O prémio é atribuído de dois em dois anos a um artista ou a um colectivo de arte que viva e trabalhe no continente africano e que pratique no domínio das artes visuais.

O prémio principal é atribuído por um júri internacional após a elaboração de uma lista restrita por um comité de selecção. O artista ou colectivo vencedor receberá um prémio em dinheiro de 20.000€ e uma publicação produzida no valor de 10.000€ para o seu trabalho. Dois artistas ou colectivos serão seleccionados como segundos classificados e receberão um prémio em dinheiro de 5.000€ cada.

O prémio visa apoiar os artistas emergentes nas suas carreiras, respondendo aos desafios da prática no continente africano. A qualidade artística é o critério mais importante para o prémio.

O artista intermediário camaronês Em'kal Eyongakpa recebeu o prémio inaugural em 2018 com o júri internacional de Koyo Kouoh (Director Artístico, RAW Material Company, Dakar), Laurence Bonvin (artista e representante da família Grohs, Berlim), Raphael Chikukwa (Curador Principal, Galeria Nacional do Zimbabué, Harare) e Simon Njami (Curador, Paris).

As candidaturas em linha serão abertas a partir de 15 de Outubro de 2019 em www.henrikegrohsartaward.africa
Todas as candidaturas devem ser apresentadas através do formulário de inscrição em linha.
 

Sobre Henrike Grohs

Henrike Grohs estudou etnologia e foi chefe do Goethe-Institut Abidjan de 2013 a 2016. Foi co-fundadora do projecto "Next - Intercultural Projects" na "Casa das culturas do mundo" ("Haus der Kulturen der Welt") em Berlim. Entre 2002 e 2009, trabalhou como Gestora de Projetos no programa educativo da Orquestra Filarmónica de Berlim. Em 2009, foi nomeada Assessora de Cultura e Desenvolvimento no Goethe-Institut da África do Sul. Henrike Grohs faleceu aos 51 anos num atentado terrorista na Costa do Marfim, em março de 2013, juntamente com outras 17 pessoas.
 

Sobre o Goethe-Institut

O Goethe-Institut é o instituto cultural da República Federal da Alemanha, com atuação mundial. Seu mandato é promover o estudo da língua alemã no exterior e incentivar o intercâmbio cultural internacional. Hoje está representada em 98 países e tem cerca de 3.300 funcionários. Contribui amplamente para a promoção de artistas, idéias e obras. O apoio às cenas culturais locais e o fortalecimento do diálogo pan-africano através das artes fazem parte da sua missão no continente africano, onde opera 19 institutos: em Abidjan, Accra, Addis Abeba, Alexandria, Cairo, Casablanca, Dakar, Dar es Salaam, Joanesburgo, Cartum, Kigali, Lagos, Lomé, Luanda, Nairobi, Rabat, Tunis, Windhoek e Yaoundé, bem como escritórios de ligação em Argel, Kinshasa e Ouagadougou e associações culturais em Antananarivo, Bamako, Cidade do Cabo, Harare, Kampala e Maputo.
 

Contacto

info@henrikegrohsartaward.africa

Jonas Radunz, Goethe-Institut South Africa
Jonas.Radunz@goethe.de

119 Jan Smuts Avenue
Parkwood 2193
Private Bag X18
Parkview 2122
South Africa

Tel: +27-11 442 3232
Fax: +27-11 442 3738
www.goethe.de/johannesburg
 

10 de Julho 2019

Novos livros para o Museu Nacional de Antropologia

No âmbito da sua colaboração com os museus antropológicos de Berlim e Luanda, o Goethe-Institut Angola adquiriu literatura especializada importante para a biblioteca do Museu Nacional de Antropologia. Juntamente com o Goethe-Institut, o Presidente do Conselho Federal da Alemanha, Daniel Günther, entregará os livros no dia 12 de julho, às 18h30, no museu.

Trata-se de 33 livros de referência que até agora têm faltado na mais importante biblioteca de pesquisa antropológica de Angola. Estas incluem literatura básica como o volume "Cultura Tradicional Bantu" de Raul Ruiz de Asúa Altuna. Os livros foram selecionados juntamente por todas as instituições envolvidas na cooperação. A adição de literatura especializada à biblioteca deverá continuar nos próximos anos.

O Presidente do Conselho Federal da Alemanha virá a Luanda no dia 11 de Julho, onde se encontrará com o Presidente da República João Lourenço, membros da Assembleia Nacional de Angola e vários ministros angolanos. No último dia da sua estadia em Luanda, participará na FILDA juntamente com o Ministro da Economia, Pedro Luís da Fonseca.

No dia 12 de Julho, o Presidente do Conselho Federal, que está particularmente interessado no intercâmbio cultural germano-angolano, visitará o Museu Nacional de Antropologia juntamente com a Ministra da Cultura de Angola, Maria da Piedade de Jesus.

A cooperação do Goethe-Institut Angola com o Museu Nacional de Antropologia Luanda e o Museu Etnológico de Berlim (SMB) é um projecto de longo prazo que foi acordado em Dezembro de 2018 pela Direcção dos Museus Nacionais de Angola (DINAM), pela Fundação do Património Cultural Prussiano (SPK) e pelo Goethe-Institut num Memorando de Entendimento. A cooperação resultou de um projecto das embaixadas alemã e francesa em Luanda, da Alliance Française e do Goethe-Institut Angola.

No âmbito da cooperação, ainda neste ano serão produzidos vários vídeos curtos que abordarão o contexto social de importantes obras de arte nos dois museus. Os vídeos serão integrados na exposição permanente em ambos os museus.
 

Contacto

Goethe-Institut Angola
Gabriele Stiller-Kern
gabriele.stiller-kern@goethe.de
Telemóvel: +244 929 247 355

27 de Junho 2019

PLASTIKA: Goethe-Institut Angola convida grupo de teatro infantil de Joanesburgo para Luanda

A "Blac Anthem Theatre Company" do Uganda vem a Luanda em Julho com a sua peça PLASTIKA, destinada a crianças entre os 3 e os 7 anos de idade. 

A peça é toda sobre plástico. Com sacos resmalhandos e garrafas vazias, os três actores do Uganda e do Botsuana exploram as múltiplas possibilidades de design do plástico e descobrem tesouros surpreendentes no lixo. A peça dura 25 minutos. Após a apresentação, os atores convidam o público a fazer suas próprias experiências.

PLASTIKA foi produzido como parte do programa de teatro "Early Years" na Cidade do Cabo e apoiado pelo Goethe-Institut, o Magnet Theatre na Cidade do Cabo e o Helios Theatre em Hamm, Alemanha.
 

Aprepresentações:
 
Domingo, 7 de julho às 16:00
Centro de Animação Artística do Cazenga (ANIMART)
Zona 18 - 6ª Avenida ao IFA
Cazenga, Luanda
Entrada livre
 
Segunda-feira, 8 de julho às 15h30
Centro Cultural Zango das Artes (CCZA)
Bairro Zango II, Quadra F 892 (em frente ao Puniv), Luanda
Entrada livre
 

Contacto

Goethe-Institut Angola
info@goethe.luanda.org
Telemóvel: +244 923 540 062

19 de Junho 2019

Histórias Kambutas online

A partir de hoje, leitores, jovens e já mais velhos, podem baixar gratuitamente três novos livros infantis da Cynthia Perez, do José Eduardo Agualusa e do Mia Couto no site do Goethe-Institut Angola.

A heroína da história da Cynthia Perez, "Kambuta Grande", é uma menina bem baixinha, que chama-se Bela. Ela não tem só um super-poder, mais também um coração grande. A história do Mia Couto, "O Rio Infinito", é inspirada em uma lenda africana e versa sobre o poder e a magia da arte. Em "A Concha Mágica" o José Eduardo Agualusa conta sobre Nketa, que anpanhou um terrível susto quando chegou a primeira menstruação.
 
Todos os livros são lindamente ilustrados e serão impressos em quantidades de até 1.000 cópias nas próximas semanas, distribuídos gratuitamente para bibliotecas e centros culturais e apresentados numa caravana de leituras. Uma revista digital poderá imprimir, traduzir e distribuir os livros livremente.
 
Os três livros infantis são o resultado do evento "Histórias Kambutas" em Luanda, para o qual o Goethe-Institut em parceria com o colectivo cultural Pés Descalços em Abril deste ano convidou a participar os três escritores José Eduardo Agualusa, Mia Couta e Cynthia Perez, os ilustradores Danuta Wojciechowska, Tché Gourgel e Thó Simões e as designers Iris Buchholz Chocolate , Lauretta Geraldo e Manuela Lima.
 
"Histórias Kambutas" é um projecto baseado na ideia original do "Book Dash" que é realizado na África do Sul. O projecto tem como objectivo a criação de livros com histórias infantis enquadradas na realidade local, a partir de uma maratona de 12 horas de trabalho, onde no mesmo espaço 3 equipas constituídas cada por um escritor, um ilustrador e designer gráfico criem e desenvolvam o seu projecto para um livro com uma história para crianças.

Aqui podes encontrar as três Historias Kambutas
 

Contacto

Goethe-Institut Angola
info@goethe.luanda.org
Telemóvel: +244 923 540 062

Colectivo Pés Descalços                                                                                                               
Telemóvel: +244 923 31 53 73

11 de Junho 2019

O Goethe-Institut convida José Luís Mendonça para o Sympósio Cultural em Weimar

Mais de 300 artistas, cientistas, journalistas e trabalhadores culturais de todo o mundo vão estár na Alemanha em Junho, para discutir as consequências da rápida evolução technológica global num simpósio. O simpósio é um evento do Goethe-Institut e acontecerá de 19. a 21. de Junho 2019 em Weimar, o berço da clássica alemã. O Goethe-Institut convidou de Angola o escritor e journalista José Luís Mendonça para estár presente no referido simpósio Weimar.


Entre os oradores do simpósio cultural em Werimar estarão o escritor Pankaj Mishra da Índia, a journalista Lina Attalah do Egito e John Hurt dos EUA, um professor de física da Universidade de Harvard.Johannes Ebert, o Secretário Geral do Goethe-Institut, explicou numa conferência de imprensa em Berlim: “O Simpósio Cultural Weimar deste ano aborda alterações sociais do nosso tempo e as coloca em uma relação cultural, econômica e política. Durante três dias serão desenvolvidos acessos artísticos e científicos às questões actuais do futuro numa atmosfera creativa de festival. As perspectivas do exterior são mutio importante para o Goethe-Institut – por isso estou muito feliz, que muitos especialistas da nossa rede mundial venham à cidade cultural Weimar para discutir estes temas pertinentes entre eles e com o público.”
 

CONTACTO:

Goethe-Institut Angola
Gabriele Stiller-Kern
gabriele.stiller-kern@goethe.de
Telemóvel: +244 929 247 355

29 de abril 2019

Workshop sobre "Conservação e Restauro" no Museu Nacional de Antropologia

Hoje, inicia no Museu Nacional de Antropologia, um workshop sobre "Conservação e Restauro". A oficina é dirigida por Eva Ritz, restauradora no Museu etnológico de Berlim. O projeto faz parte da cooperação do Goethe-Institut com os Museus etnológicos de Berlim e Luanda.

 

Eva Ritz irá ministrar a referida oficina exatamente á medida das necessidades do Museu Nacional de Antropologia: Como devem objetos de colecção etnológica serem preservados e restaurados em clima tropical? Portanto, a restauradora tem utensílios e material de trabalho que trouxe da Alemanha para que os participantes possam testar na práctica as suas habilidades. Eva Ritz trabalha no Museu Etnológico de Berlim desde 2004 e tem supervisionado os objetos de coleção de África desde 2011; ela já administrou projetos semelhantes na Tanzânia e na China.

A oficina fechada terminará esta sexta-feira e os participantes são funcionários do Museu Nacional de Antropologia. Um aprofundamento da formação na área da conservação e restauro no Museu Nacional de Antropologia já está planeado: No Outono deste ano, um funcionário do museu irá alargar as suas habilidades participando numa residência no Museu Etnológico de Berlim.

A cooperação entre os dois museus e o Goethe-Institut Angola é um procjeto de longo prazo, tendo ocorrido a assinatura de um Memorando de Entendimento em Dezembro de 2018 pela Direcção dos Museus Nacionais de Angola, a Fundação do Patrimônio Cultural Prussiano e o Goethe-Institut. O referido Memorando surgiu de uma cooperação entre as Embaixadas da Alemanha e da França em Luanda, da Alliance Française e do Goethe-Institut Angola.

CONTACTO:

Goethe-Institut Angola
Gabriele Stiller-Kern
gabriele.stiller-kern@goethe.de
Telemóvel: +244 929 247 355
 

19 de março 2019

Histórias Kambutas – Mia Couto, José Eduardo Agualusa e Cynthia Perez a criar livros infantis

O projecto "Book Dash" tem como objectivo a criação de livros infantis enquadrados na realidade local, a partir de uma maratona de 12 horas de trabalho. Três escritores, três ilustradores e três designers vão trabalhar juntos e pois apresentar as novas "histórias kambutas" às crianças e famílias no quintal da Rádio LAC.

Às histórias Kambutas vão contribuir os escritores Mia Couto (Moçambique), José Eduardo Agualusa e Cynthia Perez (Angola), os ilustradores Danuta Wojciechowska (Portugal), Tché Gourgel e Thó Simões (Angola) e as designers Iris Buchholz ChocolateLauretta Geraldo Manuela Lima (Angola). As histórias serão apresentadas em pequenos livros impressos numa tiragem máxima de 1000 exemplares cada e distribuídos gratuitamente em todo país. Através do website do Goethe-Institut Angola será disponibilizada gratuitamente uma versão PDF dos livros.

"Histórias Kmabutas" é um projecto baseado na ideia do "Book Dash", realizada na África do Sul. O projecto tem como objectivo a criação de livros enquadrados na realidade local. Os artistas participantes trabalham voluntariamente e os livros resultantes podem ser impressos, traduzidos e distribuídos sem restricção legal.

Por ocasião da visita de Mia Couta e José Eduardo Agualusa, o Goethe-Institut também convida para oficinas, uma leitura e uma discussão.


Escrever, Ilustrar e Paginar um livro infantil

O Goethe-Institut Angola em parceria com o colectivo cultural Pés Descalços, realiza na Terça-feira, dia 2 de Abril, três Workshops com inscrições gratuitas, nomeadamente, Escrita Criativa, Ilustração e Designer Gráfico para livros infantis. Os Workshops serão lecionados pelo escritor José Eduardo Agualusa, a designer Iris Buchholz-Chocolate e o ilustrador Tché Gourgel. Os temas, que os três artistas escolheram, são “Escrever a partir dos sonhos”, “Introdução a pintura digital” e “Tipografia e layout”.

Com carga horária de 6 horas no total, os Workshops decorrerão das 9h as 17h nas instalações da Universidade Lusíada de Angola, Largo do Lumeji 11/13, Luanda – Coqueiros, Ingombota. Existem 10 lugares disponíveis para cada workshop sendo a inscrição aceite por ordem de entrada. Para participarem dos Workshops, os interessados devem efectuar as inscrições através do contacto e-mail rita.soares@luanda.goethe.org, com a seguinte informação: Nome completo, número telefone e informação sobre a sua experiência na área em que trabalha ou estuda.
 

"A Sociedade dos Sonhadores Involuntários" - José Eduardo Agualusa apresenta o seu romance

O Goethe-Institut Angola em parceria com o colectivo cultural Pés Descalços, o Teatro Elinga e a livraria Kumutu convidam o escritor José Eduardo Agualusa para apresentar em Luanda o seu mais recente romance "A Sociedade dos Sonhadores Involuntários". O Lançamento do livro será realizado na Quarta-feira, 3 de Abril às 18:30h no Elinga Teatro. A apresentação do livro será feita por Michael Kegler, tradutor dos livros do escritor para o alemão e promotor da literatura em língua portuguesa na Alemanha.

O evento será de entrada grátis.

"A Sociedade dos Sonhadores Involuntários" é uma fábula política, poética e satírica, que desafia e questiona a natureza da realidade, ao mesmo tempo que defende a reabilitação do sonho enquanto instrumento da consciência e da transformação.
 

Histórias Kambutas - novas histórias para crianças

O Goethe-Institut Angola em parceria com o colectivo cultural Pés Descalços convidam todas as crianças para estarem presentes no Sábado, dia 6 de Abril, no quintal da LAC (Luanda Antena Comercial) a partir das 11h para conhecerem as novas histórias infantis de José Eduardo Agualusa, Mia Couto e Cynthia Perez. O evento será de entrada grátis.
 

O QUE ESPERAMOS UNS DOS OUTROS -
CONVERSA A 3

O Goethe-Institut Angola em parceria com o colectivo cultural Pés Descalços e o Teatro Elinga vão realizar no Sábado, dia 6 de Abril às 18h00 no Elinga Teatro, uma tertúlia denominada CONVERSA A 3 com os escritores Mia Couto, José Eduardo Agualusa e Michael Kegler. 

Os três amigos vão dialogar sobre a literatura africana de língua portuguesa e a sua recepção na Europa. Que conceitos e preconceitos determinam o interesse pela literatura africana e de língua portuguesa. Quem são os seus leitores, e qual importância têm para os autores africanos?

Michael Kegler trabalha há mais de 10 anos com os dois escritores. É o tradutor dos romances de José Eduardo Agualusa para o alemão e é um crítico literário. Desde 2001 dirige o portal "nova cultura" sobre a literatura e música dos países lusúfonos.
 

CONTACTOS:

Goethe-Institut Angola
Telefone +244 923 540 062
info@goethe.luanda.org
 
Colectivo Pés Descalços
Telefone +244 923 31 53 73
mailpesdescalcos@gmail.com

15 de dezembro 2018

O Goethe-Institut e os Museus Etnológicos em Berlim e Luanda iniciam uma cooperação

A Direcção dos Museus Nacionais Angolanos, a Fundação do Património Cultural Prussiano e o Goethe-Institut acordaram uma cooperação a longo prazo em Luanda. Hermann Parzinger, Presidente da Fundação do Património Cultural Prussiano, Norbert Spitz, Chefe Regional do Goethe-Institut da África Subsaariana, e Ziva Domingos, Director Nacional dos Museus Angolanos, assinaram um memorando de entendimento na capital angolana.

Durante o domínio colonial em Angola, foram criadas grandes colecções etnográficas para o Museu Etnológico (Staatliche Museen zu Berlin) e para o Museu do Dundo no nordeste de Angola. Os objectos do Museu do Dundo formam hoje uma grande parte da colecção do Museu Nacional de Antropologia em Luanda. O Museu de Etnologia de Berlim (Staatliche Museen zu Berlin - Stiftung Preußischer Kulturbesitz) também abriga uma das mais importantes e antigas colecções de arte e de cultura material de Angola.

O foco da cooperação será a exploração das colecções de ambos os museus, o questionamento de sua história, bem como a sua activação no presente, com referências mútuas e conteúdos elaborados conjuntamente. No primeiro ano os parceiros concordaram em partilhar informações sobre as colecções dos museus em Luanda e Berlim, em fazer um Workshop sobre conservação e restauração e em traduzir documentos históricos e etnográficos para o português. Em conjunto com membros das comunidades de origem dos objectos, artistas de Angola e Alemanha concordaram em desenvolver um projecto sobre a história das colecções destes objectos.

O Presidente do Goethe-Institut, Klaus-Dieter Lehmann, acolheu esta iniciativa calorosamente: "Com um plano de acção muito concreto, elaborado em conjunto pelos parceiros, esta cooperação tem uma perspectiva que pode servir de exemplo. É mais um projecto sobre a história e o futuro das questões coloniais que o Goethe-Institut apoia. Neste âmbito, o Goethe -Institut pode também contribuir com os seus longos anos de experiência, permitindo plataformas de intercâmbio crítico e constructivo, reunindo actores de diversos países e diversas disciplinas."

Hermann Parzinger enfatizou a ampla gama de tarefas que devem ser abordadas em conjunto: "Queremos, tendo em conta as nossas limitações, fazer parte e apoiar os museus angolanos nas suas múltiplas tarefas. A história das colecções em Angola e Berlim está permanentemente entrelaçada pelo trabalho de pesquisadores dos séculos XIX e XX. Tendo como base esta história compartilhada, buscamos novos caminhos para o futuro, por meio de pesquisas conjuntas, incluindo proveniência, treinamento e capacitação. Na área dos museus, iniciou-se uma nova era de cooperação germano-angolana."

A cooperação entre o Goethe-Institut Angola e os museus etnológicos de Berlim e Luanda é o resultado da cooperação entre as embaixadas da Alemanha e da França em Luanda, da Alliance Française e do Goethe-Institut Angola. Neste contexto, já fora realizado, em Luanda, Maio de 2018, um Workshop preparatório para os parceiros. Neste encontro, os funcionários de todas as instituições participantes determinaram os objectivos desta cooperação num segundo Workshop, que se realizou de 26 a 30 de Novembro, a convite do Goethe-Institut no Museu Etnológico (Staatliche Museen zu Berlin).

O Goethe-Institut é o instituto cultural mundial da República Federal da Alemanha. Com 159 institutos em 98 países, promove o conhecimento da língua alemã no exterior, cultiva a cooperação cultural internacional e fornece uma imagem actual da Alemanha.


CONTACTOS:

Goethe-Institut e.V.
Dr. Jessica Kraatz Magri
Dir. Comunicação / Portavoz
jessica.kraatzmagri@goethe.de
Tel. +49 89 15 921 249
 
Goethe-Institut Angola
Gabriele Stiller-Kern
Directora
gabriele.stiller-kern@goethe.de
Tel. +244 929 247 355
 
Stiftung Preußischer Kulturbesitz
Ingolf Kern
Dir. do Departamento de Medias e Comunicação
i.kern@hv.spk-berlin.de
Tel. +49 30 266 411 440