Stefan Bachmann


© Sebastian Hoppe
Nasceu no dia 1.7.1966, em Zurique. De 1986 a 1988 estudou germanística e teoria literária na Universidade de Zurique, depois foi assistente de Luc Bondy no teatro Schauspielhaus de Zurique e no teatro Schaubühne de Berlim. Em seguida, deu continuidade aos seus estudos em germanística, teatro e religião na Universidade Livre de Berlim. Durante seus estudos, realizou diversos trabalhos teatrais com colegas.

Em 1992 fundou o grupo teatral berlinense Theater Affekt com Ricarda Beilharz, Thomas Jonigk, Tom Till e Lars-Ole Walburg. O grupo teve projeção nacional com a encenação de “Pentesiléia” de Heinrich von Kleist e a peça musical de Goethe “Lila”, pela qual esse grupo independente recebeu o Friedrich-Luft-Preis (Prêmio Friedrich Luft) em 1995. Desde 1993, trabalhou como diretor no teatro Schauspiel Bonn, no teatro Volksbühne am Rosa-Luxemburg-Platz em Berlim, no Theater am Neumarkt de Zurique e no teatro Schauspielhaus de Hamburgo.

No início da temporada de 1998/99 Stefan Bachmann tornou-se diretor do Theater Basel. Teve um início tão brilhante que o teatro foi eleito “O teatro do ano” em 1999 pela crítica da revista Theater heute. Desde 2001, ele também trabalha como diretor de ópera. Não renovou seu contrato com o teatro da cidade de Basel, que expirou no final de 2002.

Links relacionados

Perfil: Stefan Bachmann

Stefan Bachmann estreou sua direção no Theater Basel em 1998 com a peça Troilus e Cressida de Shakespeare, apresentando uma encenação que demonstrava claramente o rumo que estava tomando. Por um lado, desdobrou a peça enquanto um todo, mostrando um panorama dos precipícios e bestialidades humanos diante dos portões de Tróia. Ao mesmo tempo, ele não se intimidou em acentuar as descobertas individuais do teatro pop, incluindo canções inesperadas e curtas improvisações, com as quais estabeleceu conexões contemporâneas.

Em seu trabalho nota-se a recorrente busca por textos que estão muito distantes entre si e que chamam pouca atenção do teatro em geral. Exemplo disso é seu O triunfo das ilusões, de Pierre Corneille, e Francisca, de Wedekind. O que busca e o que mais lhe interessa, ele certa vez colocou da seguinte maneira: “a minha forma de narração sobre o palco não procura um sentido único. Por um lado, tenho problemas com o fato de ser tão difícil não ser ambíguo. Por outro lado, o que me interessa é somente o que é complexo e complicado, porque isso corresponde à nossa visão moderna de mundo.”

Essa atitude básica, partindo da ambivalência e complexidade do mundo moderno, foi decisiva durante seus quatro anos de direção em Basel. Seus programas sempre abrigavam posições aparentemente díspares, como Magic Afternoon, de Wolgang Bauer, e Merlim, de Tankred Dorst. Bachmann sondava sobretudo três direções. Por um lado, seguia a pista dos anos sessenta, para inteirar-se da história pop. O ponto alto dessa sua busca foi sua Estréia de Jeff Koons, de Rainald Goetz, no teatro Schauspielhaus de Hamburgo, em 1999. O olhar de Bachmann sobre o artista, estilizado como ícone pop, foi muito elogiado. Segundo a revista Theater heute a produção “efetivamente apresentava as condições de um empreendimento artístico que acima de tudo se propunha a ser muito a sério.”

Stefan Bachmann também se voltou para os grandes mitos e, em Merlim, buscou no personagem Parcival a origem da education sentimentale. O terceiro eixo do diretor são as obras clássicas, que ele levou ao palco numa teimosa dramatização, como no caso de Afinidades Eletivas, de Goethe. A encenação que apresentou em 1995 no Theater Neumarkt de Zurique - e que ele retomou na cidade de Basel - buscava almas humanas que sentiam atração e repulsa umas pelas outras. Sobretudo os diálogos inteligentes escolhidos por Bachmann, nos quais ele incluía passagens que lembram histórias em quadrinhos, bem como as interrupções cômicas, foram altamente convincentes.

No início dos anos 90, Bachmann assentou a pedra fundamental de seu trabalho subseqüente de diretor na cidade de Basel, com a criação da coopertiva de produção de diretores, dramaturgos e cenógrafos Theater Affekt. Faziam parte do grupo o autor Thomas Jonigk, de quem Bachmann dirigiu “Você tem de me dar netos”, em 1994, e “Agressor”, no ano 2000. Outros membros dos tempos do Affekt, como a cenógrafa Ricarda Beilharz, foram com ele para Basel. Lars-Ole Walburg, que durante muito tempo esteve ao seu lado como dramaturgista, também assumiu diversas direções, e foi o sucessor de Bachmann na direção de atores em Basel.

Seu último grande sucesso data do início de 2003, com “O sapato de cetim”, de Paul Claudel. A volta ao mundo é apresentada como uma mistura de teatro mundial barroco e drama de conversação expressionista. Durante as oito horas da encenação, Bachmann entrou em cada fresta do texto, e apresentou o espetáculo num palco especialmente construído para ele no foyer do teatro de Basel. Ao final da temporada de 2002/2003, ele despediu-se do teatro para se dedicar à produção de óperas e fez uma viagem ao redor do mundo com sua família.

Jürgen Berger

Encenações - uma coletânea

  • Paul Claudel O sapato de cetim
    2003, Theater Basel
  • William Shakespeare Hamlet
    2002, Theater Basel
  • Wolfgang Amadeus Mozart Cosi fan tutte
    2001, Oper Lyon
  • Frank Wedekind Franzisca
    2000, Theater Basel
  • Rainald Goetz Jeff Koons
    Estréia 1999, Deutsches Schauspielhaus Hamburgo
  • William Shakespeare Troilus e Cressida
    1998, Salzburger Festival / Theater Basel
  • Pierre Corneille Triumph der Illusionen (Triunfo das ilusões)
    1997, Deutsches Schauspielhaus Hamburgo - Convite para o Berliner Theatertreffen (Encontro de Teatro de Berlim)
  • Wolfgang Bauer Skizzenbuch (Caderno de rascunhos)
    1996, Semana de Viena, prêmio estímulo Josef-Kainz-Förderpreis melhor direção
  • Johann Wolfgang von Goethe segundo Stefan Bachmann Afinidades eletivas
    1995, Theater am Neumarkt Zürich - Convite para o Berliner Theatertreffen (Encontro de Teatro de Berlim)
  • Johann Wolfgang von Goethe Lila
    1995, Theater Affekt Berlim, prêmio Friedrich Luft-Preis
  • Thomas Jonigk Du sollst mir Enkel schenken (Você tem de me dar netos)
    Estréia 1994, Schauspiel Bonn
  • Nick Withby Dirty dishes
    1993, Schauspiel Bonn
  • William Shakespeare Titus Andronicus
    1992, Theater Affekt Berlim
  • Bertolt Brecht Baal
    1991, Studiobühne Universidade Livre de Berlim

After the Fall – Europe after 1989

A European theatre project by the Goethe-Institut on the impact of the fall of the Berlin wall