Acesso rápido:
Ir diretamente ao contéudo (Alt 1)Ir diretamente à navegação secundária (Alt 3)Ir diretamente à navegação principal (Alt 2)

Editorial
Sobre esta edição

O sonho de juventude de Alexander von Humboldt era realizar uma viagem de pesquisa pela América do Sul. No ano de 1799, o naturalista prussiano conseguiu realizar esse desejo. Junto com o médico e botânico francês Aimé Bonpland, Humboldt viajou entre 1799 e 1804 primeiro para a Venezuela, Colômbia e Equador, seguindo depois até Cuba, Peru e México.

As impressões desta viagem o marcariam para o resto da vida. Em seus diários, Humboldt registrou suas observações sobre o mundo animal, as plantas, as zonas climáticas, a vegetação, mas também sobre questões sociopolíticas, a escravidão, a exploração da população indígena, a destruição ambiental, o esgotamento de recursos e os efeitos do colonialismo. O olhar de Humboldt era analítico, detalhado, humanista e sistematizado. Onde outros, na época, viam apenas fenômenos individuais, Humboldt descrevia conexões. Na América do Sul, ele reconhecia o que acertadamente expressa um de seus pensamentos mais famosos: “Tudo está interconectado”.
 
No entanto, não foi a personalidade histórica de Alexander von Humboldt a escolhida como tema desta edição da Revista Humboldt. Mais do que isso, trata-se aqui de uma tentativa de trazer seu olhar sobre a América de Sul para o presente. Como artistas e cientistas da América do Sul e da Alemanha refletem sobre a atual relação entre o ser humano e o meio ambiente, entre economía e ecologia? Como analisam as sociedades sul-americanas de hoje em termos de igualdade e sustentabilidade?

O conceito de Humboldt de “cosmo” representa esta ambição, colocada por ele, de compreender o mundo em sua totalidade. Com Humboldt, aprendemos: se tudo é interação, então o que fazemos sempre retorna a nós. Até que ponto resultam ações concretas a partir dessa premissa? A essa questão, as autoras e os autores que participam desta edição dão suas respostas.

Temporada temática „Humboldt e as Américas“

Para celebrar os 250 anos de nascimento de Alexander von Humboldt, vamos contemplar o universo desse naturalista em uma temporada temática transnacional levando em conta sua pessoa, pesquisa, rede, o contexto e o efeito de sua atuação. Os eventos agendados na América Latina e na Alemanha concentram-se no significado da herança de Humboldt para o presente e para os desafios da atualidade.

Sobre a Revista Humboldt

Entre 1959 e 2013, a Revista Humboldt foi editada, em sua versão impressa, como veículo de fomento ao diálogo entre a Alemanha e a América do Sul, abordando sempre temas ligados à arte, à cultura e a questões sociais. A partir de 2013, passou a ser publicada apenas em versão online nos sites dos Institutos Goethe da América do Sul. Desde maio de 2018, a Revista passa a publicar duas edições temáticas anuais, delineadas a partir de temas e projetos conduzidos pelos diversos Institutos no continente sul-americano.

Em todas as suas contribuições, a Revista Humboldt procura destacar primordialmente as estreitas relações entre América do Sul e Alemanha/Europa, fomentando o diálogo transcontinental e estruturando o intercâmbio entre os países envolvidos. Para isso, a Revista contrapõe posições opostas ou controversas, criando um terreno para discussões e debates. As publicações da Revista vêm de diversos países, entre eles Argentina, Brasil, Bolívia, Chile, Colômbia, Uruguai, Peru e Venezuela.



 

Top