Vídeo musical Artistas do Canadá e Argentina lançam videoclipe gravado em Salvador

Session at Vila Sul © Juliana Rangel

4ª, 10.02.2021

Patrick Giguère e Siro Bercetche realizaram o “Session at Vila Sul” durante residência artística no Goethe-Institut
 
O compositor Patrick Giguère, do Canadá, e o músico e cineasta Siro Bercetche, da Argentina, se cruzaram na capital baiana no primeiro semestre de 2019, durante residência no Programa de Residência Artística Vila Sul do Goethe-Institut Salvador-Bahia. Neste encontro, eles criaram uma performance musical que agora gerou um videoclipe intitulado “Guiguère + Traut + Bercetche / Session at Vila Sul”, inspirado na Avenida Sete de Setembro, onde se localiza a sede do instituto. O material, que soma o acordeon de Giguère a dispositivos tecnológicos de Bercetche, foi recentemente finalizado, em Berlim, na Alemanha, durante nova residência do artista argentino, adicionando ainda a colaboração do trombonista Matias Traut, seu conterrâneo. Um híbrido de analógico com digital com notas sonoras que será lançado no canal de YouTube youtube.com/goethebahia, no dia 10 de fevereiro (quarta-feira), às 18h.
 
Patrick Giguère (Canadá) é um compositor cuja música é executada através das Américas e da Europa. Foi diretor artístico do Erreur de Type 27 e do Ensemble Lunatik e atualmente é diretor do Codes d’accès – três organizações dedicadas à música contemporânea. A prática da sua arte é um caminho de pensar e refletir sobre relações humanas e o mundo que nos rodeia. A sua inspiração tem origens diferentes, sendo os performistas as mais importantes. A intensidade, a sensibilidade e a virtuosidade da performance, bem como a fisicalidade do som, são suas fontes de fascinação. Patrick compôs para vários conjuntos, como a London Symphony Orchestra, o Bozzini Quartet, o Birmingham Contemporary Music Group, o Ensemble Court-Circuit, o Nouvel Ensemble Moderne, o Exaudi Vocal Ensemble, o Ensemble Paramirabo, a Pacific Baroque Orchestra, o Le Page Ensemble, o Aventa Ensemble, a American Academy of Conducting in Aspen Orchestra e a Orchestre de la Francophonie. Também está colaborando com artistas que partilham a mesma visão artística, como François-Xavier Roth, Richard Baker, Mark McGregor, Jeff Stonehouse e Cheryl Duvall. Depois ter estudado na Universidade Laval, concluiu em 2018 o doutorado no Royal Birmingham Conservatoire, na Inglaterra. Patrick Giguère recebeu bolsa do Conseil des arts et des lettres du Quebéc (CALQ) para sua residência na Vila Sul do Goethe-Institut.
 
Siro Bercetche (Argentina) lançou cinco álbuns como compositor. Além disso, é membro do Lujo Asiático, um trio que faz “música eletrônica”, mas sem máquinas ou computadores: usando apenas um conjunto de bateria, sintetizadores e samplers. Lujo Asiático percorreu o Japão em outubro e novembro de 2017, retornando com a edição em vinil de seu primeiro álbum. Bercetche começou a fazer videoclipes para si e acabou fazendo mais de 20 videoclipes para artistas locais e internacionais. O trabalho no documentário “Buenos Aires Rap” (2014) despertou seu amor pelo gênero. Também filmou “No va llegar” (2017), estrelado pelo bandoneonista Tomi Lebrero e sua jornada épica pela Argentina a cavalo. Trabalha com Diane Ghogomu no filme “Buenos Aires Black”, um documentário que tenta responder o que significa ser negro em uma cidade que foi treinada para enterrar sua própria negritude. Também trabalha com Carla Sanguineti num documentário de auto-observação de um músico de Buenos Aires lutando contra a crise política, econômica, industrial e emocional, enquanto tenta entender a relação entre arte, trabalho e internet.
 
Matias Traut (Argentina) é trombonista. Nascido em San Carlos de Bariloche, iniciou seus estudos com 13 anos de idade de forma autodidata e com a ajuda de músicos como Daniel Heit e Miguel Nitzche. Aos 20 anos, mudou-se para Buenos Aires e começou a carreira de jazz no conservatório Manuel de Falla. Desde então, participou de vários projetos da cena musical de Buenos Aires, como Artistry Big Band, Dancing Mood, Satélite Kingston, Smocking Flamingo, La Zimbabwe, Las pastillas del abuelo, Los Pericos, Bahiano, Inmigrantes Big Band, Boris Big band, Humanidub, Sonora Marta Reina, Riddim y el Natty Combo. Desde 2013, vive em Salvador, onde já trabalhou com artistas como Carlinhos Brown, Lazzo Matumbi, Dão, Skanibais, IFA Afrobeat, Bailinho de Quinta, BaianaSystem e Retrofoguetes. Atualmente, integra a banda base da Jam no MAM e seu quarteto de jazz e música brasileira.
 
GOETHE-INSTITUT SALVADOR-BAHIA – Instituto cultural da República Federal da Alemanha, o Goethe-Institut, fundado em 1951, se dedica a fomentar o diálogo entre culturas e é a maior instituição de ensino de alemão no mundo. Atualmente, dispõe de uma rede de 159 unidades em 98 países de todos os continentes. A unidade do Goethe-Institut Salvador-Bahia foi criada em 1962 e, desde então, promove a aprendizagem da língua alemã, divulga uma imagem abrangente da Alemanha e realiza colaborações locais, nacionais e internacionais na área da cultura, com numerosos parceiros públicos e privados. É um espaço disposto ao exercício artístico-cultural, realizando ações próprias e oferecendo suporte a iniciativas de variadas espécies. Dispõe de teatro, foyer, galerias, biblioteca, ateliês, estúdios, salas de aulas, praças, pátio e café. Após mais de meio século de atividades contínuas na cidade, iniciou, em 2016, o Programa de Residência Artística Vila Sul, com a proposta de fortalecer interlocuções entre o Brasil e demais países do hemisfério Sul a partir do acolhimento de artistas e agentes culturais de diversas áreas, linguagens e origens – 102 residentes já experimentaram esta oportunidade.
 
Lançamento de “Guiguère + Traut + Bercetche / Session at Vila Sul”
Videoclipe de Patrick Giguère, Siro Bercetche e Matias Traut
Edição, direção e mixagem: Siro Bercetche
Músicos: Patrick Guiguère, Siro Bercetche e Matias Traut
Quando: 10 de fevereiro de 2021 (quarta-feira), 18h
Onde: youtube.com/goethebahia

Voltar