Debate Ciclo de debates discute questões geopolíticas das bienais de arte

Intervalo - Fórum de Artes 2 © Juliana Rangel

Mo, 03.09.2018

Biblioteca do Goethe-Institut/ICBA

Av. Sete de Setembro, 1809
40080-002 Salvador (Bahia)

O segundo debate do ciclo “Por que bienal?” acontece dia 03 de setembro, na Biblioteca do Goethe-Institut Salvador-Bahia
 

 
"Bienais nos hemisférios: questões geopolíticas" é o tema do segundo encontro do ciclo de debates “Por que bienal?” organizado pelo Intervalo - Fórum de Artes. O debate, que será realizado em 03 de setembro, às 18h na Biblioteca do Goethe-Institut Salvador-Bahia, propõe uma troca de experiências entre convidados e público para discutir os desafios geopolíticas das bienais de arte hoje. A entrada é franca.
 
Depois do primeiro encontro, em que foi refletido sobre a proliferação das bienais de arte, o ciclo de debate continuará com uma discussão sobre os impactos do aumento numérico e da expansão geográfica das exposições perenes. Partimos de uma série de perguntas: Qual mapa das artes foi configurado nas últimas décadas? Como representar os fluxos e interações que acontecem em escala global? Como seria um diagrama que torna visível as relações entre artistas, curadores, agentes culturais, patrocinadores, territórios, nações, assim como outros fatores que perpassam esse eventos? Quais diálogos as bienais estabelecem entre si? Qual a participação das bienais nas diversas relações de poder? Como esses fluxos e interações marcam o cenário artístico brasileiro/latinoamericano?
 
Para debater as posições que as bienais ocupam, os circuitos que elas compõem e as conexões que elas estabelecem entre os hemisférios convidamos Cristiana Tejo, curadora independente, co-fundadora do Espaço Fonte em Recife, diretora do Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães de Recife (2007-2008), organizadora do Ciclo de Conferências “Panorama do Pensamento Emergente” (2008-2013) e curadora do 32º Panorama da Arte Brasileira (2011); Willem de Rooji, artista multimídia, residente do Programa de Residência Artística Vila Sul do Goethe-Institut, professor na Städelschule em Frankfurt e da Rijksakademie em Amsterdam (2016 - ), cofundador do Berlin Program for Artists - BPA e participante da 51ª Bienal de Veneza (2005) e da 10ª Bienal de Shanghai (2014). Maxim Malhado, artista baiano, participante da Bienal do Recôncavo (1993 e 1998), 26ª Bienal Internacional de Arte de São Paulo (2014), da 3ª Bienal da Bahia (2014), da 3ª Bienal de Montevidéu (2016) e da XI Bienal do Mercosul (2018).
 
O ciclo de debates "Por que bienal?" integra as atividades do projeto “Intervalo - fórum de artes”, organizado pelo Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da Universidade Federal da Bahia em parceria com o Goethe-Institut Salvador-Bahia. “Intervalo” propõe refletir sobre transformações, compartilhar experiências, rever questões e prioridades, reavaliar o passado, assim como discutir e repensar perspectivas futuras para o campo das artes.
 
Serviço
Ciclo de Debates: Por que bienal?
Encontro II - Bienais nos Hemisférios: questões (geo)políticas
Data: 03.09.2018
Horário: 18:00-20:30
Entrada franca
Local: Biblioteca do Goethe-Institut Salvador-Bahia
Avenida Sete, 1809
Salvador, Bahia
 
Mais informações: intervalo.forumdearte@gmail.com
Contatos:
Ines Linke - coordenação: (071) 99231 3038
Uriel Bezerra - coordenação: (071) 99213 5445
Gil Maciel Rocha - assessoria de imprensa: (071) 99160 3088
 
Ficha Técnica
Organização: Intervalo - Fórum de Artes
Coordenação: Ines Linke e Uriel Bezerra
Design gráfico: Dinha Ferrero
Equipe: Tatiana Sher, Luma Flores, Felipe Rezende
Assessoria de comunicação: Gil Maciel
Agradecimentos: Manfred Stoffl, Felipe Caires, Marina Alfaya, Luciana Moniz
Realização: PPGAV-UFBA e Goethe-Institut Salvador-Bahia

Voltar