Exposição “O espaço dividido” é mais nova exposição do Goethe-Institut

O Espaço Dividido © Juliana Rangel

4ª, 28.08.2019 -
6ª, 18.10.2019

Galeria do Goethe-Institut/ICBA

Av. Sete de Setembro, 1809
40080-002 Salvador (Bahia)

Com curadoria de Tiago Sant’Ana, mostra coletiva se compõe a partir dos conceitos do geógrafo baiano Milton Santos
 
A terceira mostra do programa de exposições em 2019 do Goethe-Institut Salvador-Bahia será aberta no dia 28 de agosto (quarta-feira), às 19h. “O espaço dividido”, com curadoria de Tiago Sant’Ana, imerge nos conceitos de espaço e paisagem cunhados pelo geógrafo baiano Milton Santos para entender como os corpos e suas presenças interferem no processo de composição dos espaços geográficos. Participam 11 artistas e dois coletivos que exibirão trabalhos em fotografia, desenho, vídeo e instalação. O time é composto por Amaro Abreu, Coletivo Afrobapho, Dalton Paula, GIA – Grupo de Interferência Ambiental, Luciana Magno, Paulo Nazareth, Pierre Verger, PV Dias, Roberta Carvalho, Rodrigo Braga, Rosa Bunchaft, Tiago Cadete e Willyams Martins. A visitação seguirá até 18 de outubro, de segunda a sábado, das 9h às 19h, com entrada gratuita e classificação indicativa de 12 anos.
 
Para Milton Santos, as ideias de Terceiro Mundo e de urbanização estão intimamente atravessadas pelas desigualdades geradas por processos históricos de dominação econômica, social e regional. O uso do território é um dado político e exatamente por isso a exposição reúne artistas que de algum modo flertam e ressignificam paisagens – reiterando esses lugares como espaços de normatização, tensão, mas também de zonas de rebeldia. “Milton Santos defendia que seriam das periferias globais que sairiam possibilidades de revoluções sociais e geográficas. Essas revoluções ainda não sucederam sistematicamente, mas podemos notar uma série de inquietações sociais e artísticas que começam a provocar de alguma maneira alguns tumultos às ordens globais e geográficas”, explica o curador Tiago Sant’Ana.
 
Alguns temas norteadores presentes são memória e espaços geográficos, além de trabalhos que têm uma relação próxima com paisagens naturais e da cidade. “O espaço é dividido porque, de alguma forma, o que é público foi privatizado e negado a diversas camadas da população, seja por um abismo econômico, seja por questões ligadas às diferenças identitárias”, completa Sant’Ana.
 
Depois de “Kaurís”, exibida entre março e maio, e “Concerto para pássaros”, entre junho e julho,  “O espaço dividido” integra uma série de quatro exposições promovidas pelo Goethe-Institut Salvador neste ano, com objetivo de relacionar a produção de artistas e produções locais com residentes do seu Programa de Residência Artística Vila Sul – como é o caso, desta vez, de Amaro Abreu, do Rio Grande do Sul.
 
Sobre o Goethe-Institut Salvador-Bahia – Instituto cultural da República Federal da Alemanha, o Goethe-Institut, fundado em 1951, se dedica a fomentar o diálogo entre culturas e é a maior instituição de ensino de alemão no mundo. Atualmente, dispõe de uma rede de 159 unidades em 98 países de todos os continentes. A unidade do Goethe-Institut Salvador-Bahia foi criada em 1962 e, desde então, promove a aprendizagem da língua alemã, divulga uma imagem abrangente da Alemanha e realiza colaborações locais, nacionais e internacionais na área da cultura, com numerosos parceiros públicos e privados. É um espaço disposto ao exercício artístico-cultural, realizando ações próprias e oferecendo suporte a iniciativas de variadas espécies. Dispõe de teatro, foyer, galerias, biblioteca, ateliês, estúdios, salas de aulas, praças, pátio e café. Após mais de meio século de atividades contínuas na cidade, iniciou, em 2016, o Programa de Residência Artística Vila Sul, com a proposta de fortalecer interlocuções entre o Brasil e demais países do hemisfério Sul a partir do acolhimento de artistas e agentes culturais de diversas áreas, linguagens e origens. Mais de 70 residentes já experimentaram esta oportunidade.
 
O espaço dividido
Exposição coletiva de artes visuais
Com: Amaro Abreu, Coletivo Afrobapho, Dalton Paula, GIA – Grupo de Interferência Ambiental, Luciana Magno, Paulo Nazareth, Pierre Verger, PV Dias, Roberta Carvalho, Rodrigo Braga, Rosa Bunchaft, Tiago Cadete e Willyams Martins
Curadoria: Tiago Sant’Ana
Quando:
Abertura: 28 de agosto (quarta-feira), 19h
Visitação: 29 de agosto a 18 de outubro, segunda a sábado (exceto feriados), 9h às 19h
Onde: Goethe-Institut Salvador-Bahia (Av. Sete de Setembro, 1809, Corredor da Vitória)
Quanto: Gratuito
Classificação indicativa: 12 anos

Voltar