Isolation Berlin e AnnenMayKantereit Jovens bandas vistas pela crítica

A banda de Colónia AnnenMayKantereit nasceu no seio de uma cultura indie-pop independente e auto-didata
A banda de Colónia AnnenMayKantereit nasceu no seio de uma cultura indie-pop independente e auto-didata | Foto (detalhe): © Fabien J Raclet

As bandas Isolation Berlin e AnnenMayKantereit reclamam para si fazerem parte de uma mesma tradição musical. Mas, enquanto a banda Isolation Berlin é mais celebrada pela crítica especializada, são os AnnenMayKanteit que têm mais impacto junto do público.   

A sentença dos críticos foi rápida. Já em Fevereiro de 2016, o crítico musical da revista de música pop Musikexpress declarou que seria difícil superar a banda Isolation Berlin. “Ainda estamos em fevereiro, mas é improvável que este ano saia um álbum de música alemã melhor do que este”, escreveu Christian Ihle. O crítico deu seis pontos (o máximo) ao primeiro álbum da banda, Und aus den Wolken tropft die Zeit, e fez o prognóstico de que a "melhor banda da capital" também viria a ser a "melhor banda do país".

De resto, a opinião é unânime: Isolation Berlin é atualmente a "banda consensual" da imprensa especializada e dos suplementos culturais. Letras plenas de reflexões e dúvidas, e um som que engloba o melhor de várias décadas: orgãos psicadélicos, riffs de guitarra new wave, guitarras-baixo da música disco e do funk. Para além disso, um estilo melancólico de cantar que faz lembrar Rio Reiser, um conhecido músico e cantor alemão que morreu em 1996.

Primeiro festejados, depois apelidados de ingénuos 

Esta comparação podia ser algo fatídica para Tobias Bamborschke e a sua banda, visto que o poeta político Rio Reiser colocou a fasquia bastante alta. Mas Bamborschke parece conseguir superar o desafio com as suas letras, suficientemente críticas e autodestrutivas, não ficando por isso atrás do exemplo do vocalista da banda Ton Steine Scherben. 
 


Um caso diferente é o da banda AnnenMayKantereit, de Colónia, que antes do lançamento do primeiro albúm em 2016 também já era considerada uma banda promissora. A referência a Rio Reisern também aparece nos artigos sobre esta banda. No entanto, com o disco Alles Nix Konkretes, os AnnenMayKantereit perderam algum crédito nas mais importantes revistas musicais alemãs. Inicialmente elogiada pela sua autenticidade e despreocupação, a banda é agora considerada um protótipo de uma geração acomodada, ingénua, pretensiosa ou mesmo conservadora.  

Os críticos musicais têm saudades da rebelião e da raiva

Quase nenhum crítico deixou por comentar o refrão da terceira música do disco. Nessa canção, o cantor Nenning May reflete sobre o velho apartamento de um casal – "duas divisões, uma cozinha, uma casa de banho e uma pequena varanda". Esta canção não é certamente um dos pontos mais altos do disco de estreia dos AnnenMayKantereit, que é ao todo bastante estimulante, e por isso é difícil compreender a irritação dos críticos musicais, que têm saudades da rebelião, do protesto e da raiva.  

 


Desde logo, foram os próprios críticos que colocaram a fasquia demasiado alta ao mencionar Rio Reiser. Para além disso, as letras de May são analisadas segundo uns critérios que nem sequer correspondem aos do próprio compositor. Este jovem cantor, com uma voz rouca invulgarmente adulta, também nunca se autoproclamou porta-voz da sua geração. Pelo contrário: as suas canções sobre separação, amizade e vida de estudante dizem algo a um tipo de público que gosta de ouvir cantar sobre algo que tem ver com as suas próprias vidas. E afinal, não se podem acusar compositores de baladas como Elton John, Keane ou Billy Joel de não serem rebeldes.

Discrepância artística

As discrepâncias que são apresentadas para distinguir as bandas Isolation Berlin e AnnenMayKantereit parecem também bastante artificiais. Ambas surgiram num movimento cultural pop independente e autodidata, cujo caminho foi traçado por bandas da escola de Hamburgo dos anos 1990 (Blumfeld, Tocotronic, Die Sterne) e de pop independente dos anos 2000 (Wir sind Helden, Mia, Kettcar).

Com quase cinco anos, a história dos AnnenMayKantereit é fascinante devido à força de vontade e determinação com que os três finalistas de liceu Christopher Annen, Henning May e Severin Kantereit fizeram o seu percurso: ensaiando em jardins públicos, afinando o seu estilo musical em concertos nas ruas do centro de Colónia e ampliando a sua popularidade através de videos no YouTube. Em 2014, o baixista Malte Huck juntou-se à banda.

Um movimento independente de bandas indie pop 

Adorados pelos críticos, os Isolation Berlin ainda não conseguiram alcançar o público de massas. Mesmo que as letras das músicas sejam bastante diferentes, as suas origens musicais não são assim tão distantes. Os AnnenMayKantereit baseiam-se, nas músicas mais lentas, pela já mencionada música de baladas pop, e nas músicas mais rápidas por uma música folk revivalista, cujo estilo tem como referência a banda britânica Mumford & Sons. Os Isolation Berlin, por outro lado, têm como referência os Joy Division. Além do mais, ambas as bandas dão concertos nos mesmos festivais - com a diferença de que os AnnenMayKantereit são cada vez mais contratados como cabeça de cartaz.

Os anos 2010 criaram indelevelmente um movimento musical autónomo de bandas pop independentes. No entanto, a forma mais extravagante deste estilo musical chega-nos atualmente da capital austríaca. Bandas como Wanda, Kreisky e Bilderbuch de Viena parecem ser ainda mais radicais, hedonistas e descomprometidas do que as suas congéneres alemãs. É desta maneira que elas conseguem algo que ainda está em fase de desenvolvimento em grupos como Isolation Berlin e AnnenMayKantereit: conseguem chegar tanto ao público como aos críticos musicais.