Acesso rápido:

Ir diretamente para o conteúdo (Alt 1)Ir diretamente para a navegação secundária (Alt 3)Ir diretamente para a navegação principal (Alt 2)

#HalloLehrer*in
Anne Stöhr

Quando se começa a aprender alemão, a primeira coisa que se deve fazer é esquecer os seus preconceitos quanto à língua.

Anne StöhrFoto: Anne Stöhr © Goethe-Institut Portugal

Poderia apresentar-se sucintamente?

O meu nome é Anne Stöhr, estudei em Freiburg e vim para Lisboa fazer o meu mestrado e depois decidi ficar. Desde então que vivo em Lisboa, há cerca de 10 anos, quase o mesmo período que sou professora no Goethe-Institut em Lisboa. A natureza em Portugal sempre me entusiasmou e gosto muito de viajar nas várias regiões do país ou fazer caminhadas nos arredores de Lisboa.
 
O que torna os cursos intensivos do Goethe-Institut únicos?


A característica especial deste formato de curso é o elevado grau de contacto que os participantes do curso têm com a língua alemã, bem como entre os alunos e o/a professor/a. Através das aulas diárias, as competências linguísticas desenvolvem-se de forma especialmente rápida e a possibilidade de feedback direto por parte do/a professor/a permite acompanhar e apoiar particularmente bem a aprendizagem de cada participante.
 
O que gosta mais nos cursos intensivos do Goethe-Institut?

Eu gosto especialmente deste formato de curso, pois é verdadeiramente gratificante poder acompanhar o progresso dos alunos, que nos primeiros dias apenas dizem "Guten Tag, ich heiße..." e três semanas depois já conseguem falar muito mais fluentemente, descrevendo as suas férias, e rir-se das suas dificuldades iniciais. Por outro lado, também gosto muito do contacto regular com os alunos, o que nos ajuda a conhecermo-nos melhor. Pela minha experiência, os alunos deste curso ajudam-se muito mutuamente no processo de aprendizagem, desenvolvendo amizades que vão para além do curso.
 
Anne Stöhr2 Foto: Anne Stöhr © Goethe-Institut Portugal Qual o feedback que tem recebido dos alunos sobre os cursos intensivos?

Os alunos que escolhem este formato de curso têm normalmente uma motivação específica para aprender alemão: um emprego, um amor, um estágio ou estudos na Alemanha. A possibilidade de realizar um nível completo de alemão em apenas seis semanas é, assim, ideal para muitos nesta fase das suas vidas, requerendo um envolvimento regular com o material de aprendizagem em casa. Desta forma, a curva de aprendizagem é bastante íngreme, o que motiva muitos a mantê-la, sendo, por isso, frequente que os alunos continuem fiéis ao formato de curso intensivo desde o A1 ao B1.
 
Qual seria o seu conselho para alguém que deseja começar e/ou continuar a aprender alemão?

Quando se começa a aprender alemão, a primeira coisa que se deve fazer é esquecer os seus preconceitos quanto à língua. "Não é difícil, é apenas diferente", digo muitas vezes nas minhas aulas. O envolvimento no conhecimento de um novo sistema linguístico em vez da constante comparação da mesma com a sua língua materna, leva muitas vezes a que os alunos se apercebam que muitas coisas são lógicas e fazem sentido, e rapidamente passam a ser bastante naturais.

Qual seria o seu conselho para alguém que deseja continuar a aperfeiçoar as suas competências de alemão?

Quem quer melhorar o seu nível linguístico, deve praticar a língua alemã na vida quotidiana, o mais frequentemente possível. Por exemplo, com a ajuda de uma série alemã que vê regularmente, de um podcast ou até de uma estação de rádio que ouve todos os dias. Para principiantes, a série "Nikos Weg”, da emissora alemã Deutsche Welle, ou a leitura de livros e artigos de leitura fácil, que são mais acessíveis para quem está a aprender alemão, são também uma boa forma de repetir vocabulário e estruturas frásicas de uma forma orientada.