Die Digitale Klicke Jornal escolar com histórias digitais

Jornal escolar
Jornal escolar "Digitale Klicke" | © Goethe-Institut

Há mais de seis anos que alunos de norte a sul de Portugal trabalham num jornal escolar em língua alemã. Para o jornal "Digitale Klicke", os alunos fazem entrevistas, escrevem reportagens e publicam artigos de opinião, criando os seus próprios conteúdos. 

“Já não nos resta muito tempo, temos de começar a gravar”, ouve-se pela sala uma voz cheia de energia, quando se aproxima o final de mais um dia de trabalho. Nessa altura, os alunos procuram uma sala sossegada no Goethe-Institut em Lisboa, para que nenhum ruído incomode a gravação. Ao longo do dia, os alunos fizeram entrevistas, escreveram reportagens ou guiões para um artigo de opinião, e agora chegou o momento de tratar da gravação. Em equipa, comunicam através de auriculares e microfones e verificam se o volume e a qualidade estão satisfatórios. As letras ü e ö são aquelas que tradicionalmente provocam mais dificuldades. Mas neste grupo, tenta-se contrair os lábios e prolongar a letra para que a pronúncia fique correta. Estão a criar uma história digital, e para isso preparam um vídeo com imagens e música.  

Desde 2011, alunos de várias escolas PASCH portuguesas colaboram num jornal escolar em língua alemã. Os jovens produtores deste jornal encontram-se pelo menos duas vezes por ano, no Goethe-Institut de Lisboa, para criar, com o apoio de uma supervisão qualificada, o jornal Digitale Klicke. Durante esse processo, os alunos aprendem algumas bases da escrita jornalística e fazem a montagem das histórias digitais com o recurso a imagens e elementos sonoros, o que torna este projeto adequado mesmo para alunos com menos conhecimentos de língua. Para além disso, nos workshops também são ensinados alguns conhecimentos técnicos e é feita uma abordagem aos princípios do trabalho jornalístico, incluindo as questões jurídicas ligadas aos direitos de autor.
 

Criar histórias digitais com poucos conhecimentos de alemão

Alunos com um nível básico de língua alemã a produzir em conjunto um jornal escolar? Poderá isso funcionar? Este projeto de criação de um jornal escolar em Portugal teve, desde o início, grandes ambições. O Goethe-Institut de Lisboa contactou-me a mim e ao meu colega Paul Volkwein através da Jugendpresse Deutschland, uma associação para jovens produtores ligados aos meios de comunicação. Ambos fizemos jornais escolares, recebemos diversos prémios pelo nosso trabalho e, no âmbito da Mobilen Medienakademie der Jugendpresse, já tínhamos experiência em workshops com alunos.

Dado que alunos de várias regiões de Portugal queriam participar no workshop, ficou desde cedo muito claro que o jornal não podia ser um produto impresso. Jonathan Winter, naquela altura colaborador do Goethe-Institut de Munique, criou o layout do site com a ajuda de um sistema de edição simples, através do qual os conteúdos podiam ser incluídos no jornal digital. Em colaboração com Susanne Eichenhofer, a responsável pelo projeto no Goethe-Institut em Lisboa, decidimos assim criar com os alunos histórias digitais. Abordando os temas com a ajuda de elementos audiovisuais, os alunos conseguem ultrapassar facilmente as barreiras linguísticas. Como o trabalho é feito em conjunto, cada aluno pode contribuir com as suas competências e estar incluído de igual forma nos créditos finais, sendo indiferente se escreveu ou gravou uma parte do texto, ou se foi responsável pelas fotografias ou pela montagem. Mas, na verdade, nenhum aluno consegue fugir ao texto, pois para ilustrar adequadamente a peça com fotografias, ou música, tem de compreender o texto de partida.
 

  • Jornal Digital Foto: © Goethe-Institut / Susanne Eichenhofer
    Planeamento da reportagem
  • Jornal escolar Foto: © Goethe-Institut / Susanne Eichenhofer
    A escolha da música é fundamental.
  • Jornal escolar Foto: © Goethe-Institut / Susanne Eichenhofer
    Seguem-se as gravações no exterior.
  • Jornal escolar Foto: © Goethe-Institut / Susanne Eichenhofer
    Os professores ajudam nos preparativos.
  • Jornal escolar Foto: © Goethe-Institut / Susanne Eichenhofer
    O trabalho é dividido por todos os elementos do grupo.
  • Jornal escolar Foto: © Goethe-Institut / Susanne Eichenhofer
    Aprender alemão com a Digitale Klicke.
  • Jornal escolar Foto: © Goethe-Institut / Susanne Eichenhofer
    Final de mais um dia de trabalho.

Os textos e as imagens produzidos são editados com os programas Audacity e VideoPad, de livre acesso. A utilização destes programas é bastante intuitiva, mas alguns alunos continuam também a usar outros programas que já têm instalados nos seus próprios computadores portáteis, o que lhes permite trabalhar em casa ou produzir conteúdos para o jornal fora do âmbito dos workshops. No entanto, é incentivada a utilização de programas open source, para que cada aluno tenha a possibilidade de colaborar no jornal independentemente das possibilidades técnicas dos seus próprios aparelhos.
 

Trabalho contínuo de redação

A evolução do projeto tem sido contínua. Um ano depois do início do jornal Digitale Klicke, em 2012 foi também fundado, no Goethe-Institut em Lisboa, um jornal escolar internacional, o KOOLI. Neste jornal internacional participam, para além de antigos alunos que trabalharam no jornal português, alunos de Espanha, França, Bélgica, Itália e Malta. Mais recentemente, em novembro de 2016, teve lugar, em Lisboa, um encontro internacional do jornal KOOLI, com o objectivo de estabelecer uma rede de criadores de jornais escolares. Durante o workshop, os alunos dos seis países trabalharam em conjunto e aprenderam os fundamentos da criação de histórias digitais.
 

  • Jornal escolar Foto: © Goethe-Institut / Rosemarie Albrecht
    Gravações
  • Jornal escolar Foto: © Goethe-Institut / Rosemarie Albrecht
    Edição dos conteúdos
  • Jornal escolar Foto: © Goethe-Institut / Klaus Dorwath
    Edição dos conteúdos com programas open source
  • Jornal escolar Foto: © Goethe-Institut / Maureen Reissen
    Os coordenadores do workshop: Fabienne Kinzelmann e Paul Volkwein
  • Jornal escolar Foto: © Goethe-Institut / Klaus Dorwath
    Gravações no exterior
  • Jornal escolar Foto: © Goethe-Institut / Klaus Dorwath
    Encontro internacional de jornais escolares

Desde que foi fundado, já trabalharam no jornal Digitale Klicke cerca de 400 alunos de 15 escolas portuguesas. Nos workshops participam tanto veteranos mais experientes como novos colaboradores. O facto de existirem várias gerações a aprender umas com as outras é também uma garantia para a qualidade do trabalho num bom jornal escolar. E com o 14.° encontro mesmo à espreita, a Digitale Klicke promete continuar a ajudar os alunos portugueses a aprofundarem os seus conhecimentos de língua alemã e a desenvolverem os seus dotes de jornalismo digital.