Cinema Ascensão e Queda do Muro: O Cinema da Alemanha de Leste

Wäscherinnen, Jürgen Böttcher Foto: © DEFA Stiftung / Horst Sperber

17-27.10.2019

Lisboa

Cinemateca Portuguesa
Rua Barata Salgueiro, 39
1269-059 Lisboa

Retrospetiva DEFA no âmbito do Doclisboa

O Goethe-Institut e o festival Doclisboa estendem a sua colaboração de longa data com uma retrospetiva que assinala os 30 anos da queda do Muro de Berlim. No âmbito do festival, que terá lugar de 17 a 27 de outubro em diversos locais da capital, a retrospetiva de mais de 20 sessões na Cinemateca Portuguesa lan­ça um olhar aprofundado sobre a obra cinematográfica diversificada na RDA.

A retrospetiva abre no dia 17 de outubro, às 15h30, com dois filmes do ano 1946, Berlin im Aufbau, de Kurt Maetzig, e Irgendwo in Berlin, de Gerhard Lamprecht. No dia 22 de outubro, às 11h00, tem lugar uma mesa-redonda com a participação da curadora Agnès Wildenstein, o historiador de cinema e presidente do conselho da Fundação DEFA, Ralf Schenk, e os realizadores Thomas Heise e Volker Koepp, onde se irá debater sobre como foi filmar na Alemanha de Leste. Tomando  como ponto de partida os filmes mostrados no âmbito da retrospetiva, será feita uma reflexão sobre a prática cinematográfica, a censura e a propaganda.

Este olhar prolonga-se logo após a retrospetiva com um ciclo cinematográfico de três dias no Goethe-Institut em Lisboa dedicado ao documentário do período após a queda do Muro de Berlim e à sua perceção da sociedade da Alemanha Oriental.

O evento conta com o apoio da Associação São Bartolomeu dos Alemães em Lisboa.
 
Este ano, comemora-se o 30º aniversário da queda do Muro de Berlim. A DEFA, Deutsche Film Aktiengesellschaft, um estúdio estatal de cinema, foi fundada logo após a Segunda Guerra Mundial e permaneceu em actividade até 1991, tendo produzido centenas de filmes de ficção e documentários. Muitos cineastas talentosos criaram uma obra significativa que merece ser redescoberta e reavaliada, permitindo-nos compreender melhor um momento emocionante da história contemporânea do cinema com uma perspectiva actual.

Esta retrospectiva tem como objectivo mostrar a abundância de formas e temas nas produções cinematográficas da Alemanha Oriental, principalmente da DEFA, censuradas ou não: filmes de propaganda e proibidos, ficções e documentários, curtas e longas, realizados por várias gerações de cineastas, incluindo Konrad Wolf, Gerhard Lamprecht, Karl Gass, Winfried Junge, Gerhard Klein, Jürgen Böttcher, Volker Koepp, Iris Gusner, Andreas Voigt, Helke Misselwitz e Thomas Heise, entre outros, sem esquecer um dos seus melhores directores de fotografia,Thomas Plenert. Retratam o povo alemão – por vezes acompanhando-o ao longo dos anos – a viver num país ferido num território ferido. Reconstrução, juventude, mulheres, trabalho, vida quotidiana, a cena musical e a vida artística e a cidade de Berlim são alguns dos tópicos recorrentes nestes filmes que se servem de diversas linguagens cinematográficas. Vê-los significa não apenas desenterrar o passado, mas também repensar o nosso presente.

Agnès Wildenstein
Curadora da retrospetiva

Voltar